Canais de Notícia

Trabalho

Publicada em 23/10/2012

Indústria tem maior índice de geração de empregos de MS em 7 anos

O setor teve crescimento de 93% sobre estoque do ano base de 2005, saltando de 68.269 trabalhadores para 131.736 industriários.

Fiems

Com saldo de 375 empregos formais criados no mês de setembro deste ano, o setor industrial, composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, alcançou um estoque total de 131.736 postos de emprego em Mato Grosso do Sul, segundo levantamento do Radar Industrial da Fiems com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho e Emprego. Na prática, esse montante é 93% maior que o estoque do setor no ano base de 2005, quando as indústrias tinham empregados 68.269 pessoas.

Segundo o presidente da Fiems, Sérgio Longen, o resultado faz com que as indústrias já sejam responsáveis por 21% do total de 627.350 empregos formais existentes em Mato Grosso do Sul, ficando atrás apenas do setor de serviços, com 172.654 postos ou 27,5% do total, e da administração pública, com 135.843 ou 21,7%. No entanto, quando comparado com o desempenho dos demais setores, o Índice de Evolução do Emprego Formal nas atividades industriais acumula o maior crescimento do Estado na comparação de 2005 com 2012.

Ritmo de expansão

Para se ter ideia, na mesma comparação, o setor de serviços apresenta um índice de 173,1 pontos e crescimento de 73%, enquanto o comércio tem 147,2 pontos e aumento de 47%, a agropecuária atingiu 126,1 pontos e elevação de 26% e a administração pública com 116,9 pontos e atingiu alta de 17%. No caso do emprego formal total em Mato Grosso do Sul, o índice de evolução alcançou a marca 149,7 pontos ou crescimento de 50%. Na avaliação do Radar da Fiems, deste modo, que no período compreendido entre 2005 e 2012, até o mês de setembro, o ritmo de expansão do emprego formal na indústria em Mato Grosso do Sul foi 29% maior que àquele apresentado pelo conjunto da economia estadual.

Na mesma comparação, em relação aos segmentos de serviços, comércio, agropecuária e administração pública, o ritmo de expansão da indústria foi maior em 11%, 31%, 53% e 65%, respectivamente. Por fim, quando comparado com mês imediatamente anterior, o índice de evolução do emprego formal apresentou o seguinte desempenho: emprego total teve alta de 0,3%, o setor de serviços apresentou crescimento de 0,5%, o comércio teve elevação de 0,4%, a indústria alcançou aumento de +0,4%, a administração pública não teve alteração e agropecuária registrou melhora de 0,2%.

No ano

Por fim, vale ressaltar que no ano de 2012 a indústria vem registrando sucessivos recordes em relação ao emprego formal, aumentando a cada mês o contingente de trabalhadores empregados. Obtendo, deste modo, um crescimento ininterrupto de janeiro a setembro, mantendo elevada participação sobre o saldo total de empregos formais criados em Mato Grosso do Sul, com a geração de 9.824 postos formais de trabalho, correspondendo a 33,4% do total de novos empregos criados no Estado no período. Ficando atrás, somente, do segmento de serviços que, no mesmo período, registrou a abertura de 13.140 vagas, respondendo por 44,7% do total.

No período, o destaque foi para o segmento da indústria da transformação, com a abertura de 5.246 vagas, enquanto a indústria da construção civil criou 3.963 vagas. “Mês a mês o setor industrial no Estado tem registrado crescimento na criação de novos postos de trabalho. Proporcionalmente, Mato Grosso do Sul é o 5º maior gerador de empregos no País, ficando à frente de Estados como Minas Gerais, Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro. Essa posição no ranking nacional do Estado foi alavancada, em grande parte, pelo setor industrial”, avaliou Sérgio Longen.