Canais de Notícia

Trabalho

Publicada em 29/07/2013

Indústria abre 8,3 mil vagas e lidera criação de empregos em MS

O segmento da indústria da construção civil foi o maior gerador de vagas no período com a abertura de 4.223 novos postos formais de trabalho.

Fiems

O setor industrial de Mato Grosso do Sul, composto pelas indústrias de transformação, de extrativismo mineral, de construção civil e de serviços de utilidade pública, criou, no 1º semestre deste ano, 8.316 novos postos formais de emprego, consolidando-se, no período, como o maior gerador de vagas de trabalho no Estado, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems com base nos dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) do Ministério do Trabalho e Emprego. De janeiro a junho, o segmento industrial que mais criou vagas foi o da indústria da construção civil, com 4.223, seguido de perto pela indústria de transformação, com 3.833.

Segundo o presidente da Fiems, Sérgio Longen, a indústria continua demonstrando força na economia do Estado com a constante geração de empregos, respondendo por 41,6% do saldo total de postos de trabalho criados em Mato Grosso do Sul neste ano. “Apesar de o mês de junho ter apresentado resultado negativo, com a demissão de 475 trabalhadores, o setor ainda está à frente dos setores de serviços (6.971), agropecuária (3.415), comércio (1.098) e administração pública (167), neste 1º semestre”, destacou, lembrando que a queda registrada em junho é uma antecipação da sazionalidade das indústrias sucroenergéticas prevista normalmente para julho.

Além disso, nos últimos 12 meses, a cada 30 dias, foram abertos, em média, 606 postos formais pela indústria sul-mato-grossense, totalizando, nesse período, a abertura de 7.266 vagas, o que corresponde a 37,6% dos novos empregos criados em Mato Grosso do Sul no período. Com o saldo obtido em junho deste ano, o Estado alcança a marca de 642.159 postos formais de trabalho, indicando uma elevação equivalente a 3,21% sobre o estoque total verificado no fim de 2012. Na mesma comparação, o estoque por segmento econômico passou a ser de 177.840 postos formais de trabalho no setor de serviços (+4,13%), 138.141 na indústria (+6,41%), 135.911 empregos na administração pública (+5,19%), 121.029 no comércio (+0,95%) e 69.238 na agropecuária (+4,98%).

Índice de Evolução do Emprego

Já com relação ao Índice de Evolução do Emprego Formal na Indústria, o segmento industrial, na posição verificada em junho de 2013, foi de 202,3 pontos, indicando um crescimento de 102,3% sobre o estoque do ano base de 2005, quando o setor tinha 68.269 trabalhadores. Na mesma comparação, o setor de serviços apresentou um índice de 178,3 pontos e crescimento de 78,3%, o comércio com 151,1 pontos (+51,1%), a agropecuária com 126,1 pontos (+26,1%) e administração pública com 117,0 pontos (+17%).

No caso do emprego formal total em Mato Grosso do Sul, o índice de evolução alcançou a marca 153,2 pontos (+53,2%). Constata-se, deste modo, que no período compreendido entre 2005 e 2013, até o mês de junho, o ritmo de expansão do emprego formal na indústria em Mato Grosso do Sul foi 32% maior que aquele apresentado pelo conjunto da economia estadual. Na mesma comparação, em relação aos segmentos de serviços, comércio, agropecuária e administração pública, o ritmo de expansão da indústria foram maiores em 13%, 34%, 60% e 73%, respectivamente.

Já na comparação com o mês imediatamente anterior, o índice de evolução do emprego se comportou da seguinte maneira: Indústria (-0,19%), serviços (+0,91%), agropecuária (+0,24%), comércio (+0,52%) e administração pública (0,00%). Por fim, quando comparado com igual mês do ano anterior, o índice de evolução do emprego formal apresentou o seguinte desempenho: emprego total (+3,4%), serviços (+4,5%), comércio (+4,0%), indústria (+6,1%), administração pública (+0,1%) e agropecuária (1,1%).