Canais de Notícia

Trabalho

Publicada em 13/11/2012

AMPA capacita trabalhadores para colheita mecanizada do algodão

O curso, que será oferecido a 22 trabalhadores encontrados em situação de vulnerabilidade em MT.

Da Redação*

“Às vezes uma pessoa tem a vontade de mudar, mas não tem a oportunidade. Vocês têm a vontade e estão tendo a oportunidade”, afirmou a gerente institucional da Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (AMPA), Giana Benatto Ferreira, em sua mensagem de boas-vindas aos alunos do curso de Mecanização Agrícola, iniciado na manhã desta segunda-feira (12/11). O curso, que será oferecido a 22 trabalhadores (em destaque na foto- Crédito: Divulgação/AMPA) encontrados em situação de vulnerabilidade em Mato Grosso, é a primeira parte de um processo de reinserção no mercado do trabalho e resultado de uma parceria entre a AMPA, a Superintendência Regional de Trabalho e Emprego de Mato Grosso (SRTE-MT), o Ministério Público do Trabalho 23ª Região e o Sistema Famato, por meio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT).

A proposta é inovadora e só está sendo viabilizada graças ao envolvimento de empresas associadas à AMPA, que estão contratando os 22 trabalhadores selecionados como aprendizes nesse projeto-piloto. Durante oito meses, eles terão aulas (teóricas e práticas), inicialmente nas dependências do próprio Senar-MT, responsável pelo curso de Mecanização Agrícola. Após a conclusão das etapas iniciais de aprendizagem, todos terão uma oportunidade de aplicarem e aperfeiçoarem seus novos conhecimentos na fazenda das empresas parceiras. São elas: Grupo André Maggi (contratação de 10 aprendizes), SLC Agrícola (seis aprendizes), Girassol Agrícola (dois aprendizes), e BDM, São Caetano, Grupo Pinesso e El Tejar com um aprendiz cada.

No primeiro de aula, os jovens aprendizes prestaram muita atenção às palavras dos representantes das instituições envolvidas na parceria, que conta também com o apoio do Departamento de Serviço Social da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), representado pela professora Janaína Loeffler de Almeida. Além de Janaína, deram boas vindas aos alunos o gerente do Senar-MT, Marciel Becker; a supervisora da Equipe de Aprendizagem Rural do Senar, Daniela Figueiredo; e Ilson Branco, Alda Teresa Rodrigues de Castro e Jane do Carmo Almeida, representando a SRTE-MT. Branco enfatizou a importância de “se aprender fazendo” e destacou que os alunos têm grande chance de concluir o curso empregados devido à falta de mão de obra especializada no campo.

Coordenadora de Acolhida e Abordagem da SRTE-MT, Jane é a pessoa mais em contato com os jovens selecionados para o curso e se mostrou muito animada. “A gente está apostando no grupo. O curso de Mecanização Agrícola foi uma escolha deles. É um curso caríssimo no mercado e acredito que todos saberão aproveitar essa oportunidade de profissionalização”, comentou.

Relacionamento interpessoal

O curso de Mecanização Agrícola Jovem Aprendiz terá uma carga horária de 800 horas/aula e, num primeiro momento, os alunos irão adquirir conhecimentos sobre cidadania, ética, legislação, inclusão digital e matemática, entre outros temas. O professor Amadeu Moreira está abrindo os trabalhos esta semana com um breve curso sobre Relações Interpessoais, onde os jovens aprendizes receberão informações sobre como se relacionar melhor com o outro e as vantagens do trabalho em equipe.

Numa segunda etapa, os alunos entrarão em contato com conteúdos mais específicos, aprendendo a trabalhar com tratores, pulverizadores e implementos agrícolas, ainda no pátio do Senar-MT. A última fase do curso acontecerá na sede das fazendas parceiras. A parceria da AMPA com a SRTE-MT e o MPT 23ª Região no projeto de qualificação Ação Integrada é fruto da preocupação dos produtores de algodão com o trabalho responsável e a responsabilidade social. Essa parceria de sucesso conta agora com o reforço do Sistema Famato e do Senar-MT.

(*Com informações do AMPA)