Canais de Notícia

Trabalho

Publicada em 19/11/2013

Senai de MS vai capacitar trabalhadores para usina da Odebrecht em Angola

Serão capacitados a partir de 2014, 770 trabalhadores da Companhia de Bioenergia de Angola (Biocom).

CanaNews com informações do Senai/MS

Entre janeiro e setembro de 2014, uma equipe de técnicos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) de Mato Grosso do Sul estará em Angola para ministrar uma série de cursos de capacitação para cerca de 770 trabalhadores da primeira usina sucroenergética que está sendo implantada no país.

A usina é um empreendimento da Companhia de Bioenergia de Angola (Biocom), uma joint venture formada pelas angolanas Sonangol Honding e Damer, que possuem, respectivamente, 20% e 40% de participação na empresa, e da Odebrecht, que tem outros 40% de participação, via Odebrecht Africa Fund.

A usina está sendo implantada em Cacuso, na província de Malange e deverá iniciar em 2014 a produção de açúcar e etanol a partir do processamento de cana-de-açúcar.

Segundo o diretor-regional do Senai, Jesner Escandolhero, essa será a primeira vez que uma equipe da entidade vai se deslocar para outro país para ministrar uma capacitação. Ele destaca que essa ação só foi possível em razão de uma parceria firmada com o grupo Odebrecht.

Ele diz que em Angola a equipe de profissionais sul-mato-grossense vai reproduzir a experiência bem sucedida realizada em 2010, quando um grupo de 60 angolanos da Biocom veio ao Estado para ser capacitado.

“O trabalho reforça a parceria do Senai e a Odebrecht, por meio da experiência que se desenvolveu no atendimento à empresa desde que se instalou no Estado”, reforça Escandolhero. Em Mato Grosso, por meio do seu braço sucroenergético, a Odebrecht Agroindustrial, a empresa tem três usinas: Santa Luzia, em Nova Alvorada do Sul; Eldorado, em Rio Brilhante e Costa Rica, na cidade que leva o mesmo nome.

Os técnicos do Senai de Mato Grosso do Sul vão oferecer em Angola os cursos de caldeiraria, operador de processo da indústria sucroalcooleira, analista de laboratório industrial, mecânico industrial, eletricista industrial, instrumentista industrial, soldador e torneiro mecânico.

“Se trata de uma oportunidade para o Senai e, em especial, para Mato Grosso do Sul, consolidar sua atuação junto a países parceiros e onde a indústria nacional já atua. Além de demonstrar a confiança dela no trabalho que realizamos”, concluiu o diretor-regional do Senai.