Canais de Notícia

Trabalho

Publicada em 16/10/2013

Requalificação profissional e a importância para o setor sucroenegético

A necessidade da qualificação de profissionais é ocasionada pela demanda das usinas.

Paulo Aurélio Vasconcelos

Ao avaliar a safra 2013/2014, a Biosul – Associação de Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul – concluiu que as expectativas poderiam ser melhores se a geada dos meses de julho, agosto e setembro não tivesse prejudicado tanto os canaviais. O crescimento antes estimado em 18%, caiu para 8%, o que significa uma perda de 4 milhões de toneladas de cana-de-açúcar.

Mesmo com um quadro adverso da safra atual, o setor sucroenergético caminha no sentido de conquistar resultados positivos. Como é o caso do convênio assinado pela Biosul com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Sistema Pronatec Industrial – PBM (Plano Brasil Maior). O programa tem como objetivo qualificar trabalhadores do setor sucroenergético do Estado. Para 2013, o total de trabalhadores a participarem do programa soma mais de 1.600 funcionários.

A necessidade da qualificação destes profissionais é ocasionada pela demanda das usinas. A velocidade com que as empresas precisam de mão-de-obra é maior que a quantidade de pessoas qualificadas para atuarem nas vagas disponíveis. Algumas das funções demandadas são para eletricista de automóveis, operador de máquinas e implementos agrícolas, caldeireiro, agente ambiental de resíduos sólidos, eletricista industrial, mecânico de máquinas agrícolas, tratorista agrícola, entre outros.

Para as usinas, o investimento em cursos de qualificação para seus funcionários significa melhor desempenho e produtividade. A qualificação é parte de um grande esforço do setor, no sentido de recuperar a produtividade com trabalhadores preparados para funções que demandam conhecimentos específicos, dando mais ritmo à produção da cana, do açúcar e do etanol.

Parceira desta ação, a Biosul realiza o levantamento da demanda de vagas e de cursos junto às suas associadas e estabelece com o SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial), SENAR (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural) e SESI (Serviço Social da Indústria), entidades que executam os cursos a pré-matrículas dos interessados no Pronatec Industrial - PBM. Dessa forma, as turmas são organizadas para que haja então o curso de qualificação.

Os cursos começaram oficialmente neste mês de setembro. Até o final deste ano, as cidades de Caarapó, Costa Rica, Deodápolis, Dourados, Maracaju, Nova Alvorada do Sul e Rio Brilhante, tem 19 cursos autorizados pelo SENAI/MS, disponibilizando 1.338 vagas, com investimento de R$ 3.597.900 milhões. Em Nova Andradina outros dois cursos serão oferecidos pelo SENAR/MS, disponibilizando 369 vagas e recebendo um investimento de R$ 576 mil.

*Gerente Executivo da Biosul