Canais de Notícia

Trabalho

Publicada em 27/09/2013

Canaveiros paraibanos terão piso salarial de R$ 700

Mediação da SRTE/PB aprova convenção coletiva com ganho médio de 8,5% retroativo a 1º de setembro aos canavieiros do Estado.

Ministério do Trabalho

Mediação da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego na Paraíba (SRTE) garantiu aos canavieiros paraibanos piso salarial de R$ 700,00. O reajuste representa um aumento de cerca de 8,5% sobre o da última Convenção e é retroativo a 1º de setembro de 2013, data base da categoria.

A mesa de negociação, composta por representantes da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado da Paraíba (Fetag-PB) e da classe patronal do setor sucroenegético paraibano, estabeleceu ainda o pagamento de R$ 10 quando o salário mínimo ultrapassar o piso de R$ 700 da categoria, a título de antecipação salarial, a ser compensado na próxima data base.

Avaliada como “positiva” pelo presidente da Fetag-PB, Liberalino Lucena, a Convenção mediada pela SRTE/PB foi concluída após três rodadas e garantiu ainda a ampliação de 16 para 25 minutos diários de horas "in itineres" (tempo gasto pelo trabalhador para se deslocar da sua residência ao local de trabalho) para toda a categoria e manutenção de todos os benefícios sociais já assegurados nas convenções anteriores.

Para a chefe da seção de Relações do Trabalho da SRTE/PE, Michelle Trindade, o instituto da autocomposição, proporcionado pelo Ministério do Trabalho e Emprego, tem sido uma forma de dirimir eventuais conflitos de forma mais imediata e efetiva. “Fico muito feliz em testemunhar e participar dessa mesa de negociação, em que vislumbramos a flexibilização das normas, para atender aos ditames da dinâmica social”, avaliou.

Situação

Segundo ressalta o secretário de Assalariados da Fetag/PB, João Lau, o estado paraibano tem hoje mais de 90% dos trabalhadores do setor sucroenergético filiados aos sindicatos. O secretário atribui a performance ao “reconhecimento” do trabalho realizado pela direção da entidade em parceria com entidades como a SRTE/PB e o Ministério Público do Trabalho. “A Fetag(PB) representa cerca de 30 mil canavieiros que atuam nesta safra. A pauta (da Convenção Coletiva) foi aprovada em assembleias gerais realizadas nos vinte STTRs (Sindicatos de trabalhadores e Trabalhadoras Rurais) que atuam na zona canavieira paraibana”, destaca.