Canais de Notícia

Logística

Publicada em 19/02/2015

Teste comprova viabilidade do novo projeto de pier em Paranaguá

Quatro novos berços podem funcionar sem atrapalhar as demais operações do porto.

Da APPA

Testes de manobrabilidade feitos com simuladores atestaram que a operação do novo píer em formato de F – projeto em fase de elaboração pela Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina - é viável. As simulações comprovam que os quatro novos berços podem funcionar sem atrapalhar as demais operações do Porto de Paranaguá.

O píer será construído na parte oeste do cais comercial, e funcionará como um novo sistema de embarque de granéis sólidos. O complexo vai compor o Corredor de Exportação, nos mesmos moldes do atual corredor leste, com oito correias que levarão os grãos das esteiras transportadoras de uso comum diretamente aos navios.

“Este é o segundo grande projeto executivo concluído pela APPA. Inicialmente realizamos o projeto do Pier em “T”, já concluído e agora estamos concluindo o Projeto executivo do Píer em “F”. Estes empreendimentos quando concluídos requalificaram as instalações do Porto de Paranaguá, ampliando a oferta de serviços e elevando substancialmente a produtividade do Porto. Neste complexo, cada berço terá capacidade de carregamento de 4 mil toneladas por hora”, explica o diretor-presidente da Administração dos Portos de Paranaguá e Antonina (Appa), Luiz Henrique Dividino.

Viabilidade

O teste de viabilidade foi realizado em São Paulo, no Simulador Marítimo Hidroviário (SMH) da Universidade de São Paulo (USP). O equipamento é capaz de reproduzir as condições de navegação e de atracação de navios em águas restritas como as de canais, portos e rios.

“As manobras simuladas comprovaram a viabilidade de atracação nos quatro berços do píer em F, assim como a possibilidade de atracação de navios graneleiros com porte máximo de 300 metros, ou seja, tamanho superior aos que atracam atualmente”, afirmou o diretor de Operação da APPA, Luiz Teixeira da Silva Junior, que acompanhou a simulação juntamente com equipe técnica do porto. Segundo ele, outro fator positivo atestado pelo equipamento é que o novo píer em F não irá atrapalhar a atracação de navios nos berços já existentes.

O sistema permite prever com exatidão manobras de atracação arriscadas e simular as condições de comando de embarcações após a conclusão das obras portuárias. Ao longo de três dias de testes, quatro práticos da Paranaguá Pilots conduziram navios em diversas simulações – o aparelho cria condições semelhantes as do Porto de Paraná, incluindo eventos críticos, como ventos fortes, ondas, correntezas, marés e diferentes condições de visibilidade, como neblina, noite, chuva e sol. Em todas elas os práticos atestaram a viabilidade de operação do píer.

Simulador

O SMH recria o cenário em um ambiente de realidade virtual, com mais de 12 telas de 46 polegadas que simulam a vista da cabine de comando. Há também telas menores que imitam equipamentos como radar, GPS, carta náutica eletrônica, mostradores de velocidade e de inclinação. A estrutura também conta com timão e manches de comando. A estrutura inclui ainda uma cadeira que se movimenta para simular o balanço de um navio.