Canais de Notícia

Logística

Publicada em 03/11/2014

Evento em MS debate projetos para superar gargalos logísticos

Assunto será debatido no X Encontro dos Economistas da Região Centro-Oeste.

Da assessoria

Os dez eixos prioritários para a logística do Cento-Oeste serão um dos assuntos em discussão no X Encontro dos Economistas da Região Centro-Oeste (Eneoeste), entre os dias 19 e 21 de novembro no Centro de Convenções Albano Franco, em Campo Grande. A palestra será proferida pelo administrador de empresas e especialista no assunto Olivier Roger, diretor da Macrologística.

O estudo foi encomendado pelas Federações das Indústrias e Federação da Agricultura de Mato Grosso do Sul, em parceria com as respectivas Confederações (CNI e CNA) e aponta as prioridades para a logística da região. O trabalho avaliou as principais cadeias produtivas, origem de insumos, locais de produção, mercados consumidores (dentro e fora do País) e a partir daí determinados os principais eixo. De um levantamento inicial de 308 projetos com 73 eixos integrados de transporte, o estudo chegou a uma base de 106 distribuídos em dez eixos, reduzindo o investimento necessário de R$ 159 bilhões a R$ 36 bilhões.

Olivier destaca que cada região apresenta suas particularidades e no Centro-Oeste a característica mais marcante é a falta de grandes eixos de transportes e poucas alternativas logísticas em comparação por exemplo com uma região sudeste ou sul ou mesmo em relação à região nordeste.

“E, além disso, o transporte é muito centrado no rodoviário. O estudo mostra que existem eixos prioritários que não são só rodovias, envolvendo ferrovias e hidrovias. Desde o eixo da hidrovia do Paraguai à própria ferrovia Maracaju-Guaíra-Paranaguá; a continuação da ALL Mega Norte até Lucas do Rio Verde (MT); a própria Norte Sul passando por todo Estado de Goiás chegando até a ALL malha norte e eixos que envolvam a hidrovia do Madeira e do Tapajos”, pontua.

O estudo está incorporado à base de dados da Empresa de Planejamento Logística (EPL), responsável pelo Plano Nacional de Logística Integrada (PNLI) e também subsidia as obras do Plano de Aceleração do Crescimento 3 (PAC3). “Por outro lado também temos trabalhando junto aos parlamentares da bancada do Centro-Oeste para que os mesmos levem em consideração esses projetos quando forem pensar em termos de emendas e temos trabalhando também a própria sociedade civil com a divulgação em massa desses resultados para que todos tenham o mesmo foco”, finaliza Olivier.