Canais de Notícia

Logística

Publicada em 13/08/2014

Consórcio de prefeituras discute impacto de obras da BR-163 em MS

Vinte cidades de Mato Grosso do Sul serão impactadas pelo projeto.

Da PMCG

Prefeitos de treze municípios, entre os quais da Capital, assinaram nesta terça-feira (12) o protocolo de intenções do Consórcio Intermunicipal, a fim de debater com o governo federal e com a empresa vencedora da licitação – CCR MSVia, os impactos causados pelas obras de duplicação da BR 163. Ao todo, vinte cidades de Mato Grosso do Sul serão impactadas pelo projeto. Gilmar Olarte faz parte do bloco formado para debater os impactos ambientais, sociais e econômicos do projeto.

Assinaram o documento nesta manhã, em cerimônia realizada no Paço Municipal, os prefeitos das seguintes cidades: Campo Grande, Gilmar Olarte; Rio Verde, Mario Kruguer; São Gabriel do Oeste, Adão Rolim; Camapuã, Marcelo Duailibi; Pedro Gomes, Francisco Mota; Aquidauana, José Henrique Trindade; Naviraí, Leandro Mota; Rochedo, João Cordeiro; Rio Brilhante, Sidney Foroni; Nova Alvorada do Sul, Juvenal Neto; Bandeirantes, Marcio Faustino de Queiroz; Caarapó, Mário Valério e Jaraguari, Vagner Vilela.

A assinatura do protocolo de intenções será o primeiro passo para a criação do Consórcio, que terá representatividade jurídica para defender os interesses dos municípios participantes. Após o recolhimento da assinatura dos vinte prefeitos, o documento será registrado em cartório e publicado no Diário Oficial de cada cidade, para conhecimento público. O último passo será a ratificação pela Câmara Municipal, que deverá aprovar a criação do Consórcio.

O prefeito de Rio Verde, Mário Kruguer, que esteve presente à cerimônia de assinatura, falou do peso que representa a participação de Campo Grande neste processo. “Hoje, seríamos desproporcionais se a Capital ficasse de fora da comissão. Em doze anos na política é a primeira vez que um prefeito de Campo Grande se envolve com um problema que atinge os municípios menores. Olarte tomou a frente conosco e isso nos dá segurança. Até o momento, o contato com a empresa que executa a obra está sendo de harmonia e esperamos que assim continue, mas precisamos estar fortalecidos para garantir que nada saia errado durante e após a obra, já que é de responsabilidade das prefeituras”, disse Kruguer.

Desde o início dos trabalhos da comissão, no mês de junho, Olarte defende a busca organizada e planejada com a união de todos para que os resultados sejam eficientes. “Nós queremos que os serviços sigam o curso normal sem nenhum prejuízo para os municípios. Esse momento é histórico para o nosso Estado. Estamos todos de mãos dadas na busca do entendimento da maneira mais eficiente, que é organizada e com um planejamento prévio. Isso tem que ser feito e discutido antes de a obra começar e os problemas previstos com antecedência. Estamos juntos com os prefeitos e tenho certeza que tudo será conduzido na melhor maneira possível para que nenhuma cidade ou a população tenha prejuízo, e sim a melhoria da duplicação que é boa para todos nós”, ressalta o prefeito da Capital.

No mês de junho, quando o bloco foi criado, Gilmar Olarte disponibilizou dois técnicos especializados em infraestrutura para fazer a assessoria para os prefeitos das cidades onde será duplicada a rodovia 163. De acordo com a empresa CCR, até o final deste ano serão duplicados 80 km em Mato Grosso do Sul, sendo previsto mais 49 km para o ano que vem, fechando 2015, com 129 km prontos. A partir de 2016, serão feitos 250 km por ano, até que se cumpra a meta de terminar de duplicar toda BR-163 em cinco anos. A execução do projeto está dividida por nove lotes, ao longo de 874 quilômetros.