Canais de Notícia

Sustentabilidade

Publicada em 19/04/2013

Cana assegura boa renda e reduz riscos da atividade agrícola em sistemas integrados

Assunto foi tema de palestra no Dia da Integração, na Exposição Agropecuária de Campo Grande.

Anderson Viegas

A inclusão da cana-de-açúcar em sistemas integrados de produção lavoura-pecuária, assegura uma boa fonte de renda e melhora a gestão de riscos da propriedade. É o que apontou o produtor rural e presidente da Fundação MS, Luiz Alberto Moraes Novaes (Mandi), em palestra no Dia da Integração, promovido nesta quarta-feira (17), na 75ª Exposição Agropecuária de Campo Grande.

Na palestra, Novaes apresentou sua experiência com a integração de atividades. Ele explicou que desde 1992 utiliza o sistema na propriedade rural que sua família mantém no município de Maracaju, a 162 quilômetros de Campo Grande, e que em 2008 introduziu a cana no consórcio.

Segundo ele, a gramínea foi escolhida para integrar o sistema depois de muitas pesquisas e com o objetivo de diminuir os riscos da atividade. “Mesmo com a integração, corríamos muitos riscos de prejuízos a cada safra em função das variações do clima, do ataque de pragas e doenças e das variações do mercado”, comentou.

Novaes diz que a cana além de ser mais resistente que os grãos as oscilações climáticas, como veranicos, por exemplo, também possibilitou a entrada em um outro segmento econômico, o dos biocombustíveis.

“Continuamos a atuar na produção de alimentos, com os grãos e a pecuária, e passamos a atuar também na agroenergia, com a cana. Com isso, não dependemos mais de uma única atividade. Se o desempenho de uma não estão tão positivo em um ano acaba sendo compensado pela outra”, avaliou.

A introdução da cana no sistema, conforme ele, vai fazer com que se melhore o manejo do solo. “A cana tem um sistema radicular mais profundo do que a soja e o milho. Com isso, a adubação e a correção do solo será feita até a 40 centímetros de profundidade. Essa melhoria da fertilidade do solo vai refletir na cana e depois quando entrarmos com a soja nessas áreas. Estimamos uma produtividade recorde para o grão, chegando a 100 sacas por hectare”, projeta.

Em relação a rentabilidade da cana dentro do sistema, Novaes diz que apesar da cultura ocupar a menor área dentro da propriedade, 19%, representa a segunda maior receita bruta, 37%, perdendo apenas para a produção de grãos, que com 42% da área, é responsável por 48% do total obtido com todas as atividades.