Canais de Notícia

Sustentabilidade

Publicada em 29/01/2015

Agraer discute Projeto de Recuperação de Microbacias do Rio Taquari

Projeto atua em sete microbacias de sete municípios da região norte de MS.

Do Notícias MS

O diretor-presidente da Agência de Desenvolvimento Agrário e Extensão Rural (Agraer), Enelvo Iradi Felini e iniciou esta semana com prefeitos de municípios da região Norte do Estado as análises de execução do Projeto de Recuperação de Microbacias da sub-bacia do Rio Taquari.

Executado pela Agraer com recursos oriundos da Agência Nacional das Águas, o projeto atua em sete microbacias de sete municípios da região norte de Mato Grosso do Sul e contempla a conservação de solo e água, recuperação de Áreas de Preservação Permanente, adequação de estradas rurais e recuperação e estabilização de voçorocas.

As microbacias contempladas estão nos seguinte municípios: Coxim, no córrego Torrinhas; Alcinópolis, no córrego Pinguela; Pedro Gomes, no córrego Lobo; Rio Verde, no córrego Rio Verde; São Gabriel do Oeste, no córrego Manso; Camapuã, no córrego Barroso e Figueirão, no córrego Rio Bonito.

As ações compreendem 8.600 ha de terraceamento, 172 quilômetros de construção de cercas isolando Áreas de Preservação Permanente, 6,7 km de adequação de estradas rurais e recuperação de 28 voçorocas. As primeiras visitas técnicas ocorreram nos municípios de Coxim, Rio Verde, Camapuã, Alcinópolis e São Gabriel do Oeste.

Pelas características da microbacia do córrego Torrinhas, em Coxim, diversas estruturas existentes no relevo, como os morros, contribuem para a formação de vários sulcos erosivos. As barragens nas voçorocas foram construídas dentro do planejado e atendem os princípios de recuperação e estabilização. Foram concluídos mil hectares de terraceamento, 20 quilômetros de recuperação de cerca e de quatro voçorocas.

Em Rio Verde a equipe da Agraer encontrou a melhor cobertura e abrangência dos serviços de recuperação. As áreas de entorno das nascentes foram todas conservadas e isoladas, observando que as voçorocas foram trabalhadas a contento. Uma das áreas a montante das nascentes necessita de isolamento e revegetação. Foi executado o terraceamento de 1.800 hectares, recuperação de 30 quilômetros de cercas, mil metros de estrada e de seis voçorocas.

Já a microbacia do córrego Barroso, localizada no município de Camapuã, possui terreno de extrema dificuldade de solo e declividade. Já foram executadas todas as barragens programadas nas voçorosas. A área executada de terraceamento é de 400 hectares, com recuperação de nove quilômetros de cercas e de duas voçorocas.

A microbacia do Córrego Pinguela, em Alcinópolis, possui serviços de adequação de estradas rurais (1.400 metros), uma área de terraceamento com 1.400 hectares, 7,5 quilômetros de recuperação de cercas e de três voçorocas.

Em São Gabriel do Oeste a microbacia do Córrego Manso foi a que apresentou as maiores dificuldades de execução de conservação de solo em função das características do local. Foram executados apenas serviços de conservação de solo com terraceamento, totalizando dois mil hectares.

Os técnicos da Agraer ainda farão análises de execução do Projeto de Recuperação de Microbacias da sub-bacia do Rio Taquari nos municípios de Figueirão e Pedro Gomes.

O projeto é uma parceria com o Governo Federal, por meio do Ministério do Meio Ambiente, por intermédio da Agência Nacional de Águas e apoio técnico do Fundo Nacional do Meio Ambiente (FNMA). Participam da sua execução do programa a Agraer, prefeituras municipais, Secretaria de Meio Ambiente, do Planejamento, da Ciência e da Tecnologia, Instituto do Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul e o Consórcio Intermunicipal para o Desenvolvimento Sustentável da Bacia Hidrográfica do Rio Taquari.