Canais de Notícia

Sustentabilidade

Publicada em 16/12/2014

Usinas Santa Luzia e Santa Helena vão receber Selo Ambiental do Senai em MS

Certificação será entregue na quarta-feira (17), em Campo Grande.

Anderson Viegas

As usinas sucroenergéticas Santa Luzia, da Odebrecht Agroindustrial, em Nova Alvorada do Sul, e Energética Santa Helena, em Nova Andradina, vão receber nesta quarta-feira (17), às 19 horas, na sede da Federação das Indústrias de Mato Grosso do Sul (Fiems), o selo ambiental do Programa Senai de Ecoeficiência (PSE).

O selo classifica a eficiência ambiental das empresas e sua obtenção possibilita, conforme decreto do governo do estado, a ampliação em até 5% dos benefícios ficais que os empreendimentos já recebem em Mato Grosso do Sul.

O PSE concede selos em cinco cores. Cada uma tem sua equivalência entre a pontuação e o percentual do incentivo fiscal concedido. Começa com o branco, que tem conceito entre 1 e 20 pontos e possibilita a ampliação dos incentivos em 1%. Depois passa para o marrom (2% de incentivo), o laranja (3%), o azul (4%) até chegar ao verde, que tem conceito de 81 a 100 pontos e possibilita o incremento nos benefícios fiscais de 5%.

A pontuação poderá ser revista a qualquer tempo, na vigência do benefício fiscal ou na vigência do prazo estabelecido para execução do processo de auditoria, adequando-se a um novo resultado, aumentando ou diminuindo o nível do selo no limite entre 1% e 5%. Caso haja uma infração ou descumprimento, mesmo que parcial, em relação à Legislação Ambiental e ao Licenciamento Ambiental, a indústria perderá o selo ambiental concedido.

As usinas

Inaugurada em setembro de 2009, a Santa Luzia é uma das três unidades que a Odebrecht Agroindustrial mantém em Mato Grosso do Sul. A planta tem capacidade de moagem de 6 milhões de toneladas de cana, produção de até 540 milhões de litros de etanol e cogeração de 624 mil MWh de energia.

Já a Energética Santa Helena é uma das usinas sucroenergéticas que está em operação há mais tempo no estado. A planta opera desde 1978 e tem capacidade de moagem de aproximadamente 2,3 milhões de toneladas de cana.