Canais de Notícia

Sustentabilidade

Publicada em 28/07/2014

Artigo: O ralo do desperdício e a escolha de todos nós

Segundo a FAO, se perde 30% do alimento produzido no mundo.

*Por Luciana Chinaglia Quintão

Por acreditar que somos responsáveis – ou, pelo menos, cocriadores – por tudo que está à nossa volta, há 16 anos fundei a ONG Banco de Alimentos com o intuito de combater o desperdício de alimentos, contribuindo para minimizar os efeitos da fome e da desnutrição. Defendo, firmemente, que o grau de desenvolvimento, seja de um indivíduo ou de uma nação, está ligado ao nível de consciência que se consiga atingir.

No Brasil, há um descaso enorme em relação aos recursos, que todos sabemos ser limitados, o que se traduz em uma grande irresponsabilidade individual e coletiva. Neste país, desperdiça-se tudo! Todos se lembram da questão recente da energia, que fez com que muitas pessoas repensassem o consumo necessário. Há a questão da água; das nossas riquezas naturais extraídas de forma exploratória, em vez de autossustentável. Existe a questão do dinheiro, pois pagamos os nossos impostos — os quais muitas vezes são desperdiçados, pois estes recursos não chegam ao destino certo, perdendo-se pelo caminho. Há, ainda, a questão dos alimentos e, consequentemente, da fome.

Para se ter uma ideia do que é desperdiçado, podemos trazer à luz as seguintes informações:

- segundo a FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação), perde-se por ano, no mundo, 1,3 bilhão de toneladas de alimentos – o equivalente a 30% do que é produzido;

- 26,3 milhões de toneladas de alimentos vão para o lixo por ano.

A ONG Banco de Alimentos faz a ponte entre onde sobra e onde falta alimentos. Atua recolhendo excedentes de comercialização, isto é, alimentos perfeitos para consumo que não foram vendidos, tendo o lixo como destino. Atualmente recolhemos, em média, 30 mil quilos de alimentos por mês, beneficiando, no mesmo período, mais de 21 mil pessoas. Nestes 16 anos já “salvamos do lixo” mais de 5.434.171,38 quilos de alimentos, destinando-os a milhares de pessoas.

Retornando à questão da responsabilidade individual e da criação da realidade por meio dos nossos atos, enfatizo que toda a sociedade – política e civil – é, de alguma forma, conivente com este quadro de desperdício. Pensando em colaborar para disseminar a cultura do combate ao desperdício no consumo por meio do aproveitamento integral dos alimentos, nossa equipe de nutricionistas desenvolveu uma série de receitas para um livro muito especial: Gourmet & Sustentável; cozinhando com as partes não convencionais dos alimentos. A obra é a união de receitas criativas e saborosas ao objetivo de incentivar a prática da gastronomia sustentável – postura que contribui para a mudança da cultura no preparo dos alimentos.

Gourmet & Sustentável; cozinhando com as partes não convencionais dos alimentos é mais um projeto da ONG Banco de Alimentos para contribuir com a transformação do comportamento social em relação ao alimento e à forma de se alimentar – com mais respeito e menos desperdício. Acredite: cada pequeno gesto conta, pois somente agindo diferente teremos um mundo diferente.

*Luciana Chinaglia Quintão é economista com formação antroposófica, fundadora e presidente da ONG Banco de Alimentos. A economista conquistou o Prêmio PNBE de Cidadania – Categoria “Entidade de Destaque”, em 2002 e outros. www.bancodealimentos.org.br