Canais de Notícia

Sustentabilidade

Publicada em 23/05/2014

Fibria apoia programa que produziu 140 t de mel em MS

Participam 142 apicultores de Três Lagoas, Brasilândia e Água Clara.

Da Fibria

Com a produção de 800 toneladas de mel, o programa Colmeias, realizado pela Fibria, caminha para o seu quinto ano de atividades e conta com a participação de mais de 700 apicultores, divididos entre os Estados de Mato Grosso do Sul, São Paulo, Bahia e Espírito Santo.

O Colmeias é um programa que tem como objetivo contribuir para a melhoria da qualidade de vida dos apicultores, gerando trabalho e renda por meio do desenvolvimento e aperfeiçoamento da cadeia apícola. As colmeias são instaladas em áreas da Fibria, onde as florestas estão em fase de floração, para que as abelhas se utilizem do néctar para a produção do mel.

Segundo a consultora de sustentabilidade, Evânia Lopes, somente em Mato Grosso do Sul o programa conta com a participação de 142 apicultores, que em 2013, produziram cerca de 140 toneladas de mel. “Atualmente os apicultores que participam do programa aqui no Estado, residem nos municípios de Três Lagoas, Brasilândia e Água Clara”.

Com o apoio de uma consultoria técnica especializada, periodicamente os apicultores recebem qualificações e capacitações para potencializar a produção. “O programa está inserido em uma das metas de sustentabilidade de longo prazo da Fibria, que é ajudar a tornar 70% dos projetos de geração de renda autossustentáveis. É importante ressaltar, que o ganho da empresa com uma ação como esta, é contribuir para o desenvolvimento sustentável das comunidades onde ela atua, além de fomentar um ambiente de confiança e cooperação entre comunidades e empresa”, explica Evânia.

Entre as atividades realizadas pela consultoria técnica, está um estudo detalhado, chamado georeferenciamento, que aponta qual a melhor localização para que as colmeias sejam posicionadas em meio às florestas plantadas de eucalipto. “Hoje nós contamos com cerca de 50 mil hectares que são utilizados como pasto apícola em Mato Grosso do Sul, e o estudo possibilita uma distribuição uniforme das colmeias, para que todos os apicultores participantes do programa tenham um bom local para colocar as colmeias e uma produção maior de mel”, diz Evânia.

Segundo José Henrique Almeida, atual presidente da Associação Brasilandense de Apicultores (ABA), a expectativa é de crescimento. “O Colmeias dá todo o amparo que precisamos e mantém a sustentabilidade da atividade. Antes do programa, havia poucos apicultores em Brasilândia e eles tinham a atividade como hobby, após a parceria essa realidade começou mudar e a tomar um ar mais profissional. Acredito que em breve começará a aparecer os casos de sucesso, o que sem duvidas, vai atrair mais pessoas e gerar mais credibilidade para a cadeia produtiva do mel”.

Investimento

Por meio da Fibria, e parceria entre o Instituto Votorantim e Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), será investido mais de R$ 1 milhão na construção e compra de equipamentos para as duas Casas do Mel, localizadas em Brasilândia e em Arapuá, distrito de Três Lagoas.

No município de Brasilândia, a ABA já possuía uma Casa do Mel, mas devido ao planejamento para ampliação da produção faltavam equipamentos para o processamento e envasamento. O local será ampliado e equipado para atender a demanda dos apicultores locais.

Em Três Lagoas, no distrito de Arapuá, a Casa do Mel será construída para beneficiar os apicultores da Associação Três-lagoense de Apicultores (ATLA), que também será equipada com maquinários para o processamento e envasamento do mel. “A intenção, é que por meio dessas duas Casas do Mel, a produção possa ser certificada e disponibilizada para compras públicas com o objetivo de fortalecer as associações e agregar mais valor a renda dos apicultores envolvidos”, finaliza Evânia.