Canais de Notícia

Sustentabilidade

Publicada em 13/05/2014

Programa incentiva produção de hortaliças em aldeias urbanas

Iniciativa é da prefeitura de Campo Grande, UEMS e uma empresa do Estado.

Da assessoria

Em parceria com a Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul (UEMS) e uma empresa privada (que vai fornecer sementes e alguns insumos), a Secretaria Municipal de Políticas e Ações Sociais e Cidadania vai implantar aldeias comunitárias nos quatro núcleos indígenas de Campo Grande.

O projeto foi lançado no último domingo, 11, na Aldeia Urbana Água Bonita, região do Conjunto Vida Nova, e contou com a presença do prefeito Gilmar Olarte, na ocasião das comemorações aos 12 anos de fundação da aldeia urbana. Posteriormente, o programa também será levado às aldeias Darci Ribeiro, Marçal de Souza e nos acampamentos indígenas do Santa Mônica e do Indubrasil.

A iniciativa pretende trabalhar a educação ambiental, bem como segurança alimentar nas comunidades. A comunidade de Água Bonita reúne indígenas das etnias terena, kaiowá, guató, guarani e kadiwéu disponibiliza o projeto a todos. O programa será desenvolvido numa área de 1,7 hectare com participação de 17 famílias que mostraram interesse, inicialmente.

“A ideia inicial é uma cultura de subsistência, mas nada impede que o excedente seja comercializado por meio do programa de aquisição de alimentos desenvolvido pelo Governo Federal para o fortalecimento da agricultura familiar ”, informou a diretora de Políticas Públicas da SAS, Rosilene Gisoato.

O programa beneficia os membros das aldeias urbanas e promove a cidadania. “Fico feliz com essa ajuda porque é difícil comprar sementes e adubo”, afirma Albertina Candido, 66 anos. Ela e seu marido, Flauzino, de 80 anos, foram os primeiros a preparar a terra para o início da horta comunitária.

Ambos mudaram para a Água Bonita em 2004, vindo de Aquidauana e já estruturam uma casa improvisada no terreno com árvores de caju, pequi e canteiros de alface. O operador de máquinas agrícolas, Alder Romeiro Larreia, 33, também beneficiado pelo programa, ressalta que 60% das hortas estão estruturadas e irão ajudar no desenvolvimento da comunidade.