Canais de Notícia

Sustentabilidade

Publicada em 06/05/2014

Embrapa Pantanal divulga alerta sobre nível do rio Paraguai em MS

O rio Paraguai deve alcançar o nível em torno de 5 metros em Ladário para meados junho.

Da Embrapa Pantanal

As chuvas fortes que caíram sobre as nascentes do rio Paraguai (veja as notícias e o mapa de chuva acumulada do mês de fevereiro e de eventos extremos aqui no Hidro Pantanal) provocaram inundações nas cidades de Barra do Bugres e Cáceres, provocando uma frente de inundação que está avançando no Pantanal. Também choveu forte na bacia do Corixo Grande a oeste do Pantanal do MT, incluindo chuvas na porção boliviana da bacia.

Em função do nível do rio Paraguai na estação de Bela Vista do Norte, na região do Amolar, ter alcançado o nível de 6 metros, o rio Paraguai deve alcançar o nível em torno de 5 metros em Ladário para meados junho, considerando que a frente de inundação pode ser atenuada pelo caminho. O rio Taquari não tem registrado níveis altos, não contribuindo acima do normal para o rio Paraguai. O rio Miranda está cheio, mas já está em processo de vazante e não deve afetar o rio Paraguai e as inundações na região do Porto da Manga e arredores, como ocorreu em 2011.

O nível do rio São Lourenço/Cuiabá está com cheia normal (50% de permanência) segundo os dados da estação de Porto Alegre/Zé Viana, e já está em processo de vazante, devendo continuar dessa forma nas próximas semanas, o que tende a manter os níveis do rio Paraguai na situação atual na região da Barra do São Lourenço, podendo haver elevação moderada nos próximos dias.

É importante enfatizar que o nível de 6 metros ou superior, na estação de Bela Vista do Norte, região do Amolar e Barra do São Lourenço, já ocorreu em mais de 30% dos anos medidos, não caracterizando uma cheia extraordinária.

Como é usual em anos de cheia acima da cota de 50% de permanência, as comunidades de ribeirinhos e os proprietários de terras sob influência do rio Paraguai devem ficar em alerta. Novas estimativas serão informadas nas próximas semanas. É importante que os possíveis afetados fiquem atentos e acompanhando as informações disponibilizadas no Hidro Pantanal. Estamos monitorando e informando.

Os dados de nível dos rios utilizados no monitoramento, análises e nas estimativas são da Marinha do Brasil, Agência Nacional de Águas (ANA) e Serviço Geológico Brasileiro (CPRM). Veja os links para acesso a essas instituições aqui no Hidro Pantanal.