Canais de Notícia

Agrícola & Iindustrial

Publicada em 13/08/2013

Centro-Oeste avança em direção à liderança na produção de grãos

Região produz atualmente 42% dos grãos colhidos no Brasil, percentual em constante crescimento.

“O Centro-Oeste vai produzir em pouco tempo mais grãos do que todo o resto do Brasil”. A previsão é do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de MT (Famato), Rui Prado, durante abertura da Bienal da Agricultura, na noite desta quinta-feira (08), em Cuiabá. Para uma plateia de aproximadamente mil pessoas, o anfitrião do evento enfatizou que a Região produz atualmente 42% dos grãos colhidos no Brasil, percentual em constante crescimento.

Prado fez referência a alguns dos gargalos do setor abordados durante a Bienal. “Vamos discutir os assuntos do momento, olhando no mínimo 10 anos para frente”, adiantou. Entre as abordagens, a logística que, de acordo com o dirigente, se traduz em obter menores preços para o consumidor e em maior lucratividade para o produtor. Citou ainda a qualificação profissional como uma dificuldade do campo, uma vez que os operadores se mostram despreparados para operar máquinas com tecnologia cada vez mais avançadas, e, também, a sucessão familiar.

A sucessão familiar é tema de um dos painéis de discussão do evento, que acontece sexta-feira (09). O painel “O futuro do agro - sucessão e gestão dos negócios” terá participação da Executive Manager do Robobank, Fabiana Alves; da professora da Fundação Dom Cabral, Teresa Roscoe, e do professor da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP), Cláudio Pinheiro Machado, com mediação do presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), Eduardo Riedel. A Famasul criou e ministra curso de sucessão familiar, com formação direcionada para as diferentes gerações envolvidas em empresas desse gênero no meio rural.

Em seu pronunciamento, a senadora Kátia Abreu elencou dois dos problemas mais graves do setor: logística e seguro agrícola. E traçou um panorama do primeiro, abordando possibilidades que podem desafogar o transporte agrícola nacional, entre eles os programas de criação de ferrovias e rodovias. A senadora classificou os rios Tocantins, Tapajós e Madeira como “três grandes Mississipis brasileiros”.

Sobre a questão portuária, afirmou acreditar que as concessões vão sair. “A MP dos portos aprovada me enche de ânimo e otimismo de que tudo vai da certo e que, em cinco anos, os empresários possam aderir às concessões. E, então, nós teremos outro Brasil”, defendeu.

A Bienal da Agricultura é uma realização conjunta das federações da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul), MT (Famato), Goiás (Faeg) e Distrito Federal (Fape-DF). Desde a última edição, realizada em Goiás em 2011, o evento é rotativo. Depois de Mato Grosso, em 2015 será a vez de Mato Grosso do Sul ser sede da Bienal. A abertura desta edição do evento contou com a presença do governador de Mato Grosso, Silval Barbosa.