Canais de Notícia

Agrícola & Iindustrial

Publicada em 29/07/2013

Geadas podem afetar ritmo e volume da safra de cana em MS

Fenômeno atingiu vários municípios do Estado nos últimos dias.

Anderson Viegas*

As geadas que atingiram vários municípios de Mato Grosso do Sul nos últimos três dias, principalmente no Centro-Sul, onde está concentrada aproximadamente 82% da produção de cana-de-açúcar do Estado, podem afetar o ritmo do processamento pelas usinas e forçar uma revisão para baixo da estimativa da safra 2013/2014, segundo a Associação dos Produtores de Bioenergia (Biosul).

Em Rio Brilhante, município do Estado que tem a maior área destinada a cultura, segundo o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 96 mil hectares na safra 2012/2013, os canaviais foram atingidos por geada na madrugada de quarta-feira (24), quando os termômetros marcaram – 0,4ºC.

O impacto do fenômeno nos canaviais atingidos poderá ser mensurado somente depois de sete dias, conforme análise do comitê técnico da Biosul. Entretanto, o presidente da entidade, Roberto Hollanda Filho, aponta que uma das ações que deverá ser adotada pelas usinas é a colheita imediata da cana nas áreas atingidas para evitar a perda de qualidade da matéria-prima.

”Como cada usina trabalha com uma capacidade de moagem diária, caso não consigam colher as plantas afetadas, a lavoura poderá ser perdida”, explica ele. Com isso, Hollanda comenta que as unidades produtoras terão de alterar os projetos de moagem para produção de açúcar, álcool e bioenergia.

O presidente da Biosul diz ainda que nas áreas de plantio, as mudas podem ser diretamente afetadas. “Se as baixas temperaturas atingirem a gema apical da planta, o replantio da lavoura será necessário, o que implica um investimento muito alto e fora do planejamento inicial das usinas”, avalia.

De acordo com a entidade, com previsões dos institutos de meteorologia de que as temperaturas comecem a subir em todo o Estado a partir desta sexta-feira (26), as medidas de controle e manejo do canavial, bem como a reavaliação da safra serão discutidas pelo comitê técnico da entidade.

(*Com informações da Biosul)