Canais de Notícia

Agrícola & Iindustrial

Publicada em 22/07/2013

Coopercitrus difunde integração de tecnologias na cana

Tecnologias utilizadas em campo demonstrativo instalado na EECB podem revolucionar as práticas atuais nos canaviais brasileiros.

Da Redação

O processo produtivo da cana-de-açúcar tem passado por grandes transformações nos últimos anos. Colheita e plantio mecanizados exigem mudanças significativas nos métodos convencionais de preparo, cultivo, colheita e transporte da produção.

As empresas produtoras de equipamentos, defensivos e fertilizantes têm apresentado grandes inovações focadas no setor canavieiro. O que ocorre é que muitas vezes estas tecnologias não estão integradas e são de difícil acesso aos fornecedores de cana, principalmente os de médio e pequeno porte.

A Coopercitrus, cumprindo sua missão de oferecer soluções completas ao cooperado, liderou a formação de um grupo composto pela Netafim, líder mundial em irrigação localizada, BASF, maior empresa química mundial, Geo Agri, maior especialista em agricultura de precisão do Brasil e Valtra, líder em participação de tratores no setor canavieiro, com o objetivo de discutir com esses especialistas a aplicação conjunta de mudas sadias para viveiros de cana, irrigação localizada por tubos gotejadores para garantia de água e nutrientes na raiz da planta, ferramentas de agricultura de precisão, como piloto automático, GPS, controladores de distribuição de corretivos com taxa variável, fotos aéreas por veiculo aéreo não tripulado (Vant) e tratores com a mais alta tecnologia.

O resultado deste trabalho foi a implementação de um campo de excelência em produção de cana-de-açúcar, montado na Estação Experimental de Citricultura de Bebedouro (EECB), apresentado no “I Encontro de Alta Tecnologia na Produção de Cana-de-Açúcar”, que foi realizado pela Coopercitrus, no dia 10 de julho, com a presença de mais 130 pessoas, entre importantes lideranças e formadores de opinião, fornecedores de cana e usinas de açúcar e álcool.

O evento foi composto por palestras técnicas, debate e campo demonstrativo dos processos utilizados. O campo demonstrativo possui 3 hectares de cana-de-açúcar plantados com a variedade RB 85 5156 e apresenta na prática que o acesso a alta tecnologia e informações podem aumentar significativamente a produtividade do canavial e reduzir os custos de produção.

A primeira palestra “Alta tecnologia de irrigação por gotejamento em cana-de-açúcar”, foi ministrada pelo engenheiro agrônomo da Netafim, Daniel Pedroso, que apresentou aos participantes números que comprovam o aumento da longevidade e produtividade do canavial com o uso de sistemas de irrigação, em especial a irrigação com a inserção de tubos gotejadores enterrados. “O potencial de cana estimado pelo IAC (Instituto Tecnológico de Campinas) na região de Ribeirão Preto é de 327 toneladas por hectare, porém o que se vê é uma média de 82 ton/ha, o uso da irrigação pode mudar esta realidade, o sucesso da produção depende 50% do clima, os produtores de cana não podem ficar reféns deste fator. Estudos apontam um incremento de até 50% na produtividade com o uso da irrigação na região Sudeste. Existem lavouras de cana irrigadas por gotejamento no nordeste brasileiro que na safra 2011/2012 atingiram o 14º corte, mantendo uma média superior a 100 ton/ha em 5 cortes. Além de outros casos no Estado de São Paulo e Minas Gerais, que superam os 12 cortes”, disse o palestrante.

Para falar sobre “Soluções Integradas para a implantação, manutenção e monitoramento da cultura da cana-de-açúcar”, o encontro recebeu Rodrigo Pellegrini Tamani, da Geo Agri, que destacou em sua palestra a importância da agricultura de precisão para o incremento da produtividade na cana e apresentou softwares para todas as etapas de produção. “A agricultura de precisão é uma estratégia de gestão que utiliza as tecnologias da informação para trazer os dados de múltiplas fontes e apoiar as decisões relacionadas ao manejo da cultura. Essa tecnologia aumenta a produtividade porque permite controlar todas as variáveis e antecipar e corrigir eventuais problemas, como falhas de plantio e pragas e doenças, por meio de imagens por satélite”. Rodrigo comentou sobre todos os equipamentos utilizados no campo demonstrativo de 3 hectares, cujo projeto, segundo ele, pode mudar a realidade do setor.

O engenheiro agrônomo Antônio Cesar Azenha, da BASF apresentou a novidade lançada recentemente pela empresa, vista como uma revolução para a cultura. Trata-se do sistema AgMusa, que foi lançado para incrementar a produtividade dos canaviais do país, por meio da produção de mudas sadias e formação de viveiros com alta qualidade, que garante mudas com pureza genética, maior sanidade e grande vigor. “Além de disponibilizar mudas de alta sanidade, o sistema permite a introdução de um novo cultivar de forma acelerada. Essa nova realidade está em linha com a visão do CTC (Centro de Tecnologia Canavieira), referência no setor para tecnologias que permitem o gradativo aumento de produtividade através da introdução de novas variedades. No método convencional de multiplicação e formação de viveiros, o produtor multiplica uma nova variedade durante cerca de 6 anos antes do uso comercial. Com o sistema, o processo pode ser acelerado para 3 anos”, explicou Azenha.

O cooperado Victor Campanelli, da Agro Pastoril Paschoal Campanelli, que mecanizou totalmente seu canavial e investe em máxima tecnologia, finalizou o evento com a apresentação de dados, com exemplos de práticas de sua empresa, no sentido de encontrar o melhor caminho para alavancar a produtividade de seus canaviais. Sua apresentação foi seguida de debates envolvendo palestrantes, representantes de usinas e fornecedores de cana.

No período da tarde, o encontro continuou no campo demonstrativo montado na EECB com o intuito de demonstrar como seria um canavial do futuro, com a utilização de todas as tecnologias disponíveis e apresentadas nas palestras, como a instalação de tubos gotejadores enterrados para a irrigação e fertirrigação da Netafim, o plantio, por meio do piloto automático, das mudas sadias AgMusa, da BASF, feito por um protótipo de máquina criado pela BASF, que está sendo fabricada pela DMB, além do uso das tecnologias de informações por meio dos equipamentos apresentados pela Geo Agri, como o Vant, que permite a tomada de fotos aéreas de alta resolução, com piloto automático, que garante decolagem e pouso automáticos, o que chamou a atenção dos participantes.

Todas essas tecnologias utilizadas formam um pacote tecnológico que será oferecido pela Coopercitrus aos cooperados, para que eles tenham acesso ao canavial produtivo do futuro.