Canais de Notícia

Agrícola & Iindustrial

Publicada em 20/08/2018

Com menor quantidade chuva, MS acelera processamento de cana-de-açúcar

Segundo a Biosul, foram processadas até o fim de julho, 24,7 milhões de toneladas de cana.

Com a estiagem e distribuição irregular de chuvas no outono e inverno de Mato Grosso do Sul, as usinas sucroenergéticas do estado aceleraram a moagem neste ciclo em relação ao anterior. Segundo levantamento divulgado nesta segunda-feira (20), pela Associação dos Produtores de Bioenergia do estado (Biosul), foram processadas até o fim de julho, 24,7 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, um volume 15% maior que o registrado no mesmo período da temporada passada.

A maior quantidade de matéria-prima disponível fez disparar a produção de etanol hidratado, o combustível que é vendido diretamente nos postos. Segundo a Biosul, o processamento saltou de 753,7 milhões de litros da parcial do ciclo passado para 1,2 bilhão de litros na deste ano, representando um incremento de 63%.

Em contrapartida, houve uma redução na fabricação de etanol anidro, o combustível que é misturado a gasolina, de 1,81% na mesma comparação, com o volume caindo de 376,6 milhões de litros para 369,8 milhões de litros.

A entidade também aponta uma queda no processamento de açúcar, que enfrenta baixa no mercado internacional. A retração registrada foi de 28%, de 716,3 mil toneladas para 515,6 mil toneladas.

O presidente da Biosul, Roberto Hollanda, destaca que a característica do estado de ter um parque sucroenergético mais voltado ao processamento de etanol foi acentuada neste ciclo devido as condições favoráveis do mercado. “Mato Grosso do Sul sempre teve a produção voltado para o etanol, cerca de 70%, porém neste ano está maior pelo baixo preço das commodities”, avalia.