Canais de Notícia

Agrícola & Iindustrial

Publicada em 27/12/2012

Com 6 unidades ainda moendo, MS já processou 36,4 mi de t de cana

Volume de cana processada já é 7,66% maior do que o registrado em todo o ciclo 2011/2012.

Anderson Viegas

Das 22 usinas sucroenergéticas em atividade em Mato Grosso do Sul, 6 ainda estão processando cana-de-açúcar. As outras 16 unidades já encerraram oficialmente a safra 2012/2013, segundo levantamento da Associação dos Produtores de Bioenergia do estado (Biosul).

O volume de cana moída até a primeira quinzena de dezembro, conforme a entidade, chegou a 36,4 milhões de toneladas. Mesmo sendo ainda parcial, já que a safra ainda está em andamento para algumas plantas, já é 7,66% maior do que o registrado em todo o ciclo 2011/2012, quando foram processadas 33,8 milhões de toneladas.

Com maior quantidade de matéria-prima disponível, a produção de etanol e de açúcar também sofreu incremento no Estado. A fabricação do alimento cresceu 8,69%, passando de 1,588 milhão de toneladas na totalidade da safra 2011/2012 para 1,726 milhão de toneladas na parcial do ciclo 2012/2013.

Aumento ainda mais expressivo teve a produção de etanol, 14,22%, saltando de 1,632 bilhão de litros para 1,864 bilhão de litros. O mix de produção no ciclo 2012/2013 está em 63,73% da matéria-prima destinada para o etanol e 36,2% para o açúcar.

O presidente da Biosul, Roberto Hollanda Filho, ao analisar 2012 com a ótica do setor, diz que o ano teve como aspectos positivos no Estado: a produção recorde de cana, o crescimento do próprio segmento sucroenergético como um todo e o começo da recuperação da produtividade agrícola dos canaviais. Como ponto negativo, cita o excesso de chuva no início da safra, o que prejudicou a moagem e provocou uma pequena frustração da produção, antes prevista em 38,6 milhões de toneladas.

Para o próximo ano ele projeta a continuidade do ciclo de crescimento do setor em Mato Grosso do Sul, inclusive com a inauguração de duas novas usinas, a Ivinhema e a Aurora, e a ampliação de capacidade de plantas já instaladas. ,/p>

O presidente da Biosul ressaltou ainda que para estimular o crescimento do setor em âmbito nacional, faltam políticas públicas, que somadas a medidas pontuais, como o retorno da mistura de 25% de etanol anidro a gasolina, poderiam fomentar esse desenvolvimento.