Canais de Notícia

Agrícola & Iindustrial

Publicada em 11/07/2014

Clima seco favorece colheita da cana, mas prejudica rendimento agrícola

No acumulado desde o início da safra a moagem alcançou 202,94 mi de t.

Da Unica

A moagem de cana-de-açúcar pelas unidades produtoras da região Centro-Sul do País atingiu 44,05 milhões de toneladas na segunda quinzena de junho de 2014. Com isso, o volume processado no mês alcançou 85,59 milhões de toneladas, crescimento de 31,57% em relação ao valor registrado em junho de 2013 (65,06 milhões de toneladas).

O diretor técnico da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA), Antonio de Padua Rodrigues, explica que “a comparação dos dados apurados em junho deste ano com aqueles verificados em 2013 deve ser feita com cautela, pois a condição climática nesses dois períodos foi muito distinta”.

“Em junho do último ano, as chuvas intensas e o aumento no número de dias parados pelas usinas impactaram severamente a colheita. Neste ano, entretanto, o cenário foi oposto: o clima seco praticamente não gerou qualquer interrupção das atividades de colheita da cana”, afirmou o executivo.

No acumulado desde o início da safra 2014/2015 até 1º de julho, a moagem alcançou 202,94 milhões de toneladas, contra 182,74 milhões de toneladas no mesmo período do ano anterior (expansão de 11,05%).

Rodrigues destaca que o clima excessivamente seco tem preocupado os produtores devido à expressiva queda no rendimento dos canaviais que vem sendo colhidos. “Ainda não concluímos as estatísticas referentes à produtividade agrícola de junho, mas já podemos afirmar que ao final desta safra ela deverá ficar aquém daquela inicialmente prevista, com prejuízo à oferta de cana-de-açúcar e possível antecipação do término da moagem em várias regiões produtoras”, acrescentou.

Qualidade da matéria-prima

Como reflexo do menor índice pluviométrico, a concentração de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de matéria-prima processada atingiu 134,70 kg na segunda metade de junho, elevação de 4,46% quando comparado aos 128,95 kg verificados na mesma quinzena de 2013.

No acumulado desde o início da safra até 1º de julho, o teor de ATR alcançou 124,47 kg por tonelada de cana-de-açúcar, frente aos 123,01 kg registrados em igual período do último ano.

Produção de açúcar e etanol

Da quantidade total de cana-de-açúcar processada na segunda quinzena de junho, 45,63% destinaram-se à produção de açúcar e 54,37% à fabricação de etanol.

A produção de açúcar nos últimos 15 dias de junho totalizou 2,58 milhões de toneladas, contra apenas 1,51 milhão de toneladas observados na mesma quinzena do ano anterior. No acumulado desde o início da safra 2014/2015, a produção de açúcar alcançou 10,34 milhões de toneladas, aumento de 15,53% no comparativo com o mesmo período de 2013 (8,95 milhões de toneladas).

A produção acumulada de etanol, por sua vez, atingiu 8,45 bilhões de litros até o final de junho, alta de 10,08% relativamente ao volume observado em 2013 (7,68 bilhões de litros). Deste total produzido, 4,86 bilhões de litros referem-se ao etanol hidratado e 3,59 bilhões de litros ao etanol anidro.

Na segunda metade de junho, a produção de etanol totalizou 1,89 bilhão de litros - crescimento de 46,34% em relação à mesma quinzena de 2013 - sendo 843,50 milhões de litros de etanol anidro e 1,05 bilhão de litros de etanol hidratado.

Vendas de etanol pelas unidades produtoras

As vendas de etanol pelas unidades produtoras da região Centro-Sul na segunda quinzena de junho somaram 1,06 bilhão de litros, aumento de 15,02% comparado ao volume comercializado nos primeiros 15 dias do mês (925,79 milhões de litros) e queda de 9,78% em relação a igual período de 2013 (1,18 bilhão de litros).

Na segunda metade de junho, as exportações alcançaram 103,60 milhões de litros, enquanto o montante comercializado no mercado doméstico atingiu 961,21 milhões de litros – superior aos 901,86 milhões de litros apurados na mesma quinzena do último ano (crescimento de 6,58%) e acima dos 897,52 milhões de litros observados nos primeiros 15 dias de junho de 2014 (aumento de 7,10%).

No mercado interno, as vendas de etanol anidro totalizaram 436,53 milhões de litros na última quinzena de junho, alta de 18,53% sobre o valor registrado em idêntica quinzena de 2013. Já o volume comercializado de etanol hidratado somou 524,69 milhões de litros, contra 533,59 milhões de litros verificados na mesma data da safra passada e 483,18 milhões de litros registrados nos primeiros 15 dias de junho de 2014 (alta de 8,59%).

No acumulado desde abril até o final de junho, as vendas de etanol pelas unidades produtoras da região Centro-Sul atingiram 5,92 bilhões de litros, praticamente a mesma quantia observada em igual período de 2013 (5,95 bilhões de litros). Esse resultado se deve à queda significativa das exportações de etanol (retração acumulada de 35,43%), já que no mercado doméstico o volume comercializado até o final de junho apresentou crescimento de 4,59% quando comparado com o resultado da safra anterior (5,43 bilhões de litros em 2014 contra 5,19 bilhões de litros no último ano).