Canais de Notícia

Agrícola & Iindustrial

Publicada em 20/01/2014

Produção de cana cresce 11,28% em MS na safra 2013/2014

Balanço da Biosul aponta que o Estado moeu neste ciclo 41,4 milhões de toneladas.

Anderson Viegas

A produção de cana-de-açúcar para o setor sucroenergético cresceu 11,28% em Mato Grosso do Sul na safra 2013/2014 frente a anterior, passando de 37,3 milhões de toneladas para 41,4 milhões de toneladas, segundo balanço divulgado nesta quinta-feira (16), pela Associação dos Produtores de Bioenergia do Estado (Biosul).

Mesmo com a produção sendo a maior da história da cultura no Estado, o presidente da Biosul, Roberto Hollanda, comenta que o balanço do ciclo é negativo, em razão dos efeitos climáticos terem provocado uma redução do volume de matéria-prima que seria colhido, que poderia ultrapassar a marca de 44,1 milhões de toneladas.

Segundo ele, principalmente as geadas que ocorreram entre os meses de julho e agosto no sul do Estado, onde se concentra a produção do setor, provocaram uma redução do volume de cana que seria colhida de aproximadamente 4 milhões de toneladas.

Além disso ocasionaram também a redução da qualidade da matéria-prima, fazendo com o índice de açúcares totais recuperáveis (ATR), caísse de 136,8 quilos por tonelada do ciclo 2012/2013 para 126,7 quilos por toneladas na safra recém concluída, o que seria equivalente a outras 3 milhões de toneladas de cana.

Somando o prejuízo do volume que deixou de ser colhido com a queda do ATR da cana, o prejuízo estimado pela Biosul para o setor neste ciclo em razão da geada chega a R$ 600 milhões.

Nesse contexto, de matéria-prima com menor quantidade de açúcar, a produção do alimento foi reduzida em detrimento do processamento de etanol. O mix do ciclo foi de 72% para o combustível e 28% para o alimento.

A produção de açúcar do estado caiu 21,42% neste ciclo em comparação com o anterior, baixando de 1,7 milhão de toneladas para 1,3 milhão de toneladas. Por outro lado, a fabricação de etanol cresceu. Somado o volume do hidratado e do anidro, as usinas sul-mato-grossenses processaram 2,2 bilhão de litros, 16,45% superior aos 1,9 bilhão do ciclo anterior.

A exportação de bioeletricidade pelas usinas sul-mato-grossenses para o Sisterma Interligado Nacional (SIN) também aumentou no ciclo 2013/2014, totalizando 1.517.279 MWh, o que representa um crescimento de 17,03% em comparação com a energia disponibilizada pelas usinas para o sistema no ciclo passado.

A energia exportada nesta safra, conforme o presidente da Biosul, seria suficiente para atender todo o consumo residencial do Estado.

A mecanização também avançou no último ciclo. Conforme a Biosul, na safra 97% das áreas foram colhidas com o uso de máquinas, contra 89% da anterior, o que coloca o Mato Grosso do Sul como o estado mais adiantado no processo de mecanização da cultura no País.