Canais de Notícia

Economia

Publicada em 13/05/2015

Em uma década, MS triplica exportação avícola , diz Famasul

Estado exportou mais de 161 mil toneladas de carne e derivados avícolas em 2014.

Da Famasul

Os dados mostram que a avicultura é uma atividade próspera. Em dez anos, o volume da exportação de carne de frango “in natura” e industrializada em Mato Grosso do Sul cresceu 329%. No mesmo período, o Brasil registrou aumento de 61,7%. As informações são do Mapa - Ministério da Agricultura e Pecuária e Abastecimento e demonstram que, no ano passado, o Estado ocupou o 7º lugar do ranking nacional de exportação de produtos do gênero.

Esses foram alguns dos aspectos apresentados no lançamento do 3º Encontro Tecnológico da Avicultura de MS, que aconteceu na manhã desta terça-feira (12), na Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul. Além do presidente da entidade, Nilton Pickler, e o diretor-secretário, Ruy Fachini, participaram do evento o Secretário de Estadual de Produção e Agricultura Familiar (Sepaf), Fernando Lamas e Secretário Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico (Semade), Jaime Verruck, entre outras entidades ligadas à indústria e o setor avícola.

“O Estado exportou mais de 161 mil toneladas de carne e derivados avícolas em 2014. A maior parte foi destinada para países como Arábia Saudita, Japão e China, principais parceiros comerciais. O cenário fortalece e desafia o setor avícola”, ressaltou Pickler.

Para analisar a expansão da atividade avícola e estudar novas alternativas para a produção sustentável de aves, a Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária de MS e a Avimasul – Associação de Avicultores de MS realizam o 3º Encontro Tecnológico da Avicultura de MS, dia 20 de maio, às 12 horas, no Sindicato Rural de Dourados.

O encontro irá apresentar aos participantes o atual cenário deste setor e tecnologias que garantam economia e rentabilidade ao avicultor. Duas palestras fazem parte da programação: ‘Eficiência do consumo de energia nos aviários e otimização dos equipamentos’, palestra ministrada por Andrey Gava Citadin e ‘Uso eficiente da água no controle da ambiência em aviários’, com Luiz Cavagnoli.

“Nossa produção interna está bastante ofertada. Sendo assim, é preciso manter a exportação com sanidade, bem estar animal, qualidade de carcaça, competitividade atrelada ao preço e produção sustentável, principalmente quando se trata do manejo com água e energia, que representa 24% dos custos de produção na avícola”, explica o vice-presidente da Avimasul – Associação dos Avicultores de MS, região de Dourados, Adelmar Meyer.

De acordo com o levantamento do IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o Estado possui mais de 24 milhões de cabeças de aves, o que corresponde a 2% da participação nacional e coloca o Estado em 11º lugar no ranking avícola. O setor em Mato Grosso do Sul é representado por 1.141 aviários e 490 produtores integrados, que criam animais com subsídio das indústrias avícolas (pintos e ração). A produção de frango se concentra no centro sul do Estado, sendo que Sidrolândia é o maior produtor e Dourados aparece em segunda posição.

O secretário da Sepaf ressaltou que o setor é mantido com alta participação de pequenos produtores. “Levando-se em consideração a utilização de milho e farelo de soja na fabricação da ração oferecida as aves, a geração de renda e emprego e da importância social desta atividade, a avicultura é um setor de oportunidades no Estado”, considera Fernando Lamas.

Serviço

O 3º Encontro Tecnológico da Avicultura de MS será realizado no dia 20 de maio, no Sindicato Rural de Dourados.