Canais de Notícia

Economia

Publicada em 30/03/2015

Semana terminou no vermelho para a soja em Chicago

Mas o câmbio reagiu na sexta-feira e recuperou parcialmente os preços internos.

Da Agrinvestor Intelligence

Os preços da soja no mercado futuro da Bolsa de Chicago fecharam a sexta-feira com desvalorização de até 7 pontos. Na semana, o saldo líquido também foi negativo, mas moderadamente: o contrato de maio, referencial da safra brasileira e sul-americana, perdeu 6 pontos relativamente ao fim da semana anterior, enquanto novembro (referencial para a próxima safra norte-americana) perdeu 8 pontos. O spread maio/novembro aumentou para 19 pontos a favor de maio (era de 17 uma semana antes)

.

O mercado vem refletindo nos últimos dias a perspectiva de aumento da área de plantio da nova safra dos EUA para um novo recorde, com índices variando de 2,5 a até 4,5%, o que poderá ser confirmado ou não nesta terça-feira quando da divulgação do relatório oficial do USDA sobre as intenções de plantio dos produtores americanos. Além disso, pesa sobre o mercado o avanço da colheita da safra sul-americana, com perspectiva de produção recorde tanto no Brasil quanto na Argentina e com números que vem sendo recentemente reajustados para cima.

No Brasil, o câmbio encerrou as negociações da sexta-feira com boa reação do dólar, de quase 1,6%, fechando o dia a R$ 3,240 na média entre compra e venda. Na semana, houve valorização líquida de 0,3%. Os preços internos da soja fecharam o dia em leve alta, mas em baixa na semana em termos líquidos, com o mercado de referência do porto de Paranaguá apontando níveis de R$ 70,00 por saca (eram de R$ 71,00 uma semana antes).