Canais de Notícia

Economia

Publicada em 30/03/2015

Contratações do FCO ultrapassaram R$ 5,7 bilhões em 2014

Em 2015, estão previstos R$ 6 bilhões para investimentos na região.

Da Sudeco

As aplicações com recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO) ultrapassaram R$ 5,7 bilhões em 2014 e contemplaram 100% dos 467 municípios existentes na região. A Superintendência do Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco), por intermédio do Ministério da Integração Nacional, prevê disponibilizar R$ 26,7 bilhões para o FCO e para o Fundo de Desenvolvimento do Centro-Oeste (FDCO), no quadriênio 2015-2018.

Do montante aplicado em 2014 no FCO, R$ 4,3 bilhões (76,1%) beneficiaram mini, micro, pequenos e pequeno-médios tomadores e R$ 1,3 bilhões (23,9%) beneficiaram médios e grandes. O Estado de Mato Grosso liderou em volume de contratações com R$ 1,7 bilhão (31,3%), seguido de Goiás com R$ 1,7 bilhão (31%), de Mato Grosso do Sul com R$ 1,3 bilhão (23,3%) e do Distrito Federal com R$ 822 milhões (14,4%).

As operações do FCO voltadas para o setor rural superaram o montante de R$ 3 bilhões (53,3%) e as dirigidas ao setor empresarial envolveram um volume de R$ 2,6 bilhões (46,7%). Esse desempenho possibilitou uma contratação de 101% dos recursos previstos (R$ 5,6 bilhões) e de 96,4% dos recursos distribuídos (R$ 5,9 bilhões).

Com isso, o saldo de financiamentos do Fundo Constitucional atingiu R$ 20,7 bilhões em 31 de dezembro de 2014, sendo R$ 8,0 bilhões (38,9%) junto ao setor empresarial e R$ 12,6 bilhões (61,1%) junto ao rural.

Segundo o superintendente da Sudeco, Cleber Ávila, a importância do Fundo decorre diretamente das condições favorecidas ou diferenciadas em que o crédito é concedido. “O FCO é um importante instrumento da política de desenvolvimento regional, que gera emprego e renda na região”, observa o superintendente da Sudeco, Cleber Ávila.

O FCO possui limites financiáveis de até 100% do valor do investimento; prazos de amortização, que podem chegar a 20 anos; e taxas de juros atrativas conforme o setor da economia, a finalidade do crédito e o porte do tomador. Se o tomador pagar a parcela em dia, a taxa de juros pode diminuir 15%.

Projeções

Em 2015, estão previstos R$ 6 bilhões para o FCO em financiamento aos setores produtivos do Centro-Oeste, sendo R$ 1,1 bilhão para o DF, R$ 1,7 bilhão para GO, R$ 1,3 bilhão para MS e R$ 1,7 bilhão para MT. Neste ano, as taxas de juros variam de 4,71 a 12,94%.

Na região Centro-Oeste, a estimativa para os próximos quatro anos indica investimentos da ordem de R$ 26,7 bilhões nos dois Fundos de Desenvolvimento, sendo R$ 22,3 para o FCO e R$ 4,4 bilhões para o FDCO.

“A maior parte dos recursos do FCO vem dos retornos financeiros das operações em curso. Temos uma taxa de inadimplência muito baixa e há uma retroalimentação contínua com o pagamento das parcelas pelos tomadores”, destaca o superintendente Cleber Ávila.