Canais de Notícia

Economia

Publicada em 12/03/2015

Preço impulsiona aumento de 20,89% nas vendas de etanol em MS

Em janeiro, postos do estado comercializaram 18,372 milhões de litros.

O preço competitivo do etanol hidratado nos postos de combustível de Mato Grosso do Sul, impulsionou o aumento de 26,49% nas vendas do biocombustível no estado em janeiro deste ano frente ao mesmo período do ano passado, com comercialização passando de 14,524 milhões de litros para 18,372 milhões de litros. Os dados foram copilados pelo CanaNews, com base em informações da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Segundo a ANP, em janeiro deste ano, o preço médio do litro do etanol hidratado no estado foi de R$ 2,168, o que representou 69,39% do valor médio do litro da gasolina, que era de R$ 3,124. Em razão da diferença de poder calorífico dos combustíveis, o uso de biocombustível é considerado vantajoso para os veículos equipados com motores flex (bicombustíveis) somente se o preço do seu litro estiver abaixo de 70% do valor do litro do combustível fóssil.

Percentualmente, o crescimento das vendas de etanol hidratado no primeiro mês do ano em Mato Grosso do Sul representou mais que o dobro do incremento da comercialização de gasolina no estado no período, que foi de 11,68%, subindo de 54,982 milhões de litros para 61,409 milhões de litros.

Maior fatia de mercado

Além de uma maior quantidade comercializada, o etanol também ampliou sua fatia no mercado de combustíveis de Mato Grosso do Sul neste início de ano. Em janeiro de 2014, 79,10% do combustível vendido no estado para veículos do ciclo otto era gasolina e 20,89% etanol hidratado. Já neste primeiro mês de 2015, esse mix de comercialização ainda continua a ser liderado pelo combustível fóssil, mas sua participação caiu para 76,97%, enquanto que a do etanol subiu para 23,02%.

Em recente entrevista, o diretor da Associação dos Produtores de Bioenergia de Mato Grosso do Sul (Biosul), Paulo Aurélio, apontou que os preços do etanol devem manter a estabilidade nos próximos meses em razão do início da safra 2015/2016, o que deve ampliar a oferta de produto no mercado.