Canais de Notícia

Economia

Publicada em 27/02/2015

Ebitda da Eldorado Brasil atinge 825 milhões de reais em 2014

Margem Ebitda de 45% no segundo semestre do ano é a melhor do setor de celulose.

Da Eldorado

A Eldorado Brasil (www.eldoradobrasil.com.br), empresa do Grupo J&F, registrou R$ 2,5 bilhões de receita bruta no acumulado do ano de 2014, número 43% maior do que a receita bruta do ano anterior, e encerrou o período em posição de destaque no setor de celulose, consolidando sua presença nos principais mercados internacionais e conquistando níveis de excelência operacional.

De acordo com José Carlos Grubisich, presidente da Eldorado Brasil, a empresa fortaleceu sua presença no mercado mundial de celulose. “A Eldorado apresentou resultados significativos em 2014, com margem Ebitda recorde para o setor de 45% no segundo semestre do ano, evidenciando sua posição de destaque no mercado global de celulose. Todas as áreas da companhia apresentaram melhoria de desempenho e competitividade, o que resultou em um crescimento de 86% do Ebitda, em comparação com o ano anterior, atingindo R$ 825 milhões” afirma.

Em 2014, a produção de celulose da Eldorado cresceu 23%, passando de 1,276 milhão de toneladas, em 2013, para 1,568 milhão de toneladas no ano passado – volume superior à capacidade nominal do projeto, de 1,5 milhão de toneladas. Já as vendas da Eldorado saltaram 35%, de 1,154 milhão de toneladas em 2013 para 1,561 milhão de toneladas em 2014. Graças a esses avanços e a fatores como redução de custos em diversas áreas e maior eficiência das operações, a companhia atingiu um Ebitda (lucro bruto menos as despesas operacionais, excluindo depreciação e amortizações do período e os juros) de R$ 825 milhões, com margem de 38% sobre a receita líquida, 10 pontos percentuais a mais que no ano anterior. Esses números fizeram da Eldorado a empresa com a melhor margem Ebitda do setor nos dois últimos trimestres de 2014.

A empresa tem fortalecido sua presença no mercado internacional, e as exportações representaram cerca de 89% das vendas totais em 2014, tendo como principais destinos China, Itália, Estados Unidos, Coreia do Sul e Alemanha. “O bom desempenho é resultado de uma estratégia de vendas bem sucedida, que levou à conquista de novos clientes e à intensificação das relações iniciadas em 2013”, diz Grubisich.

O principal uso da celulose branqueada da Eldorado é para a produção de tissue (papéis de higiene pessoal), cujo consumo cresce de forma expressiva, graças ao aumento da renda per capita e da urbanização em vários mercados emergentes.

Para garantir o fornecimento de madeira para a maior fábrica de celulose em linha única do mundo, foram plantados aproximadamente 50 mil hectares de eucalipto em 2014, com distância média de até 110 quilômetros da unidade industrial. No final do ano, a empresa possuía mais de 200 mil hectares de florestas próprias plantadas. A Eldorado também apostou em tecnologia e inovação, tornando-se ainda mais competitiva. Hoje, praticamente 100% do plantio e da colheita são feitos de forma mecanizada. Além disso, a empresa também foi pioneira ao usar nas florestas veículos aéreos não tripulados (VANT), popularmente conhecidos como drones, e inteligência artificial.

Graças às melhorias de desempenho, a companhia conseguiu elevar sua capacidade de produção para 1,7 milhão de toneladas por ano, 13% acima da capacidade inicial do projeto. A área industrial bateu sucessivos recordes, trazendo a empresa para um novo patamar no cenário mundial de produção de celulose – tudo isto com um nível de custo industrial que se destaca como um dos mais baixos do setor.

Autossuficiente em energia, gerada a partir de biomassa, a Eldorado produziu 1.272.848 MW de energia em 2014. Além de abastecer as próprias necessidades, a empresa vendeu o excedente para parceiros industriais localizados na unidade de Três Lagoas e para o mercado livre de energia, gerando receita adicional de R$ 90 milhões no ano.

Ao longo de 2014, a Eldorado apresentou avanços importantes em busca da maior competitividade nas operações logísticas. “No ano passado, demos mais um passo importante na gestão de logística integrada ao iniciar a construção de um terminal próprio no porto de Santos, que vai trazer mais eficiência para a Eldorado”, explica Grubisich. A companhia estima que a operação do terminal, que está prevista para começar no segundo trimestre deste ano, deverá gerar redução de custos anual de cerca de R$ 80 milhões.

Para 2015, a Eldorado tem como foco aumentar sua competitividade e solidez, em busca de eficiência operacional, gestão sustentável e aprimoramento de performance. “Além do porto próprio e das melhorias constantes em nossos processos, como inovações tecnológicas aplicadas ao setor, a partir do segundo semestre deste ano, encerraremos as operações de colheita e compra de madeira proveniente do estado de São Paulo e intensificaremos a colheita de eucalipto de florestas próprias no Mato Grosso do Sul. Estas rupturas de competitividade contribuirão para perspectivas ainda melhores em 2015”, completa Grubisich.