Canais de Notícia

Economia

Publicada em 05/02/2015

Unida pede apoio a ministro sobre o decreto da subvenção da cana

Monteiro Neto decidiu falar com o ministro da Fazenda em favor da subvenção.

Da Unida

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro Neto decidiu que, amanhã, falará com o ministro da Fazenda, Joaquim Levi, em favor da subvenção econômica para 30 mil produtores de cana do Nordeste e do Rio de Janeiro. Apesar do benefício ter sido publicado em lei no ano passado, anterior a chegada dos novos ministros, o atual chefe da Fazenda ainda não aprovou o decreto que regulamenta a lei. Com isso, os agricultores não podem receber os R$ 12 por tonelada de cana fornecida na safra 2012/13, e continuam penando os efeitos da última seca. O ministro Armando, que é um profundo conhecedor do setor sucroenergético, decidiu fazer a solicitação a Levi, depois que dirigentes da União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida) o procuram ontem.

O encontro entre os dirigentes da Unida com o ministro foi realizado nesta quarta-feira (4) no gabinete de Armando em Brasília. O setor o atualizou sobre os trâmites pendentes para a assinatura do decreto da subvenção, regulamentando a lei 12.999, que foi publicada em julho de 2014. “Kátia Abreu, ministra da Agricultura, já chancelou o decreto e encaminhou para a análise da Fazenda há duas semanas, mas o ministro Levi não avaliou o documento ainda”, falou Alexandre Andrade Lima, presidente da Unida. O dirigente contou ainda que se antecipou e se reuniu ontem mesmo com o secretário adjunto de Política Agrícola da Fazenda, João Rabelo. O gestor público repassou que o decreto já passou positivamente pelo setor jurídico e, até sexta-feira (6), estará na mesa do ministro. Porém, Rabelo disse, que, mesmo assim, não a prazo fechado para Levi avalia-lo. Eis o motivo da solicitação de apoio da Unida ao ministro Armando Monteiro.

Nesta quinta-feira (5), a Unida ampliará a busca de apoio político para agilizar a assinatura do decreto, que, depois do aval do ministro Joaquim Levi, precisa da chancela final da presidente Dilma Rousseff. A entidade se reúne hoje com o presidente do Senado e do Congresso Nacional, Renan Calheiros (PMDB-AL). O encontro será com o presidente da Unida e seus diretores Fabiano França, da Associação dos Plantadores de Cana de Alagoas; Frederico Pessoa de Queiroz, vice-presidente da Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco; e o diretor do Sindicato dos Cultivadores de Cana de PE, Flávio Romero.

Motor Flex

Além da subvenção para os produtores de cana nordestinos e cariocas, a reunião com o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior levantou outra pauta: o incentivo para as montadoras de veículos evoluir a tecnologia de motores flex, com o objetivo de melhorar a eficiência do consumo do etanol, que atualmente corresponde a 70% da gasolina. O pleito foi feito pelo presidente da Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana), Paulo Leal, que também participou do encontro ontem. Ao qualificar a eficiência do motor a álcool, eleva-se a concorrência com a gasolina, e, consequentemente, aumenta o consumo do combustível à base de cana-de-açúcar – matéria-prima produzida pelos agricultores. O ministro Armando se mostrou conhecedor da pauta e adiantou que está para publicar um decreto atendendo a demanda do setor canavieiro.