Canais de Notícia

Economia

Publicada em 08/12/2014

Em 11 meses, exportações de industrializados já somam US$ 3,39 bi

O setor industrial já responde por 69% de tudo que o Estado exportou.

Da Fiems

Nos últimos 11 meses deste ano, as exportações de produtos industrializados de Mato Grosso do Sul cresceram 2,6% e já somam receita de US$ 3,39 bilhões contra US$ 3,30 bilhões de janeiro a novembro do ano passado, o que representa participação de 69% de tudo o que foi exportado por Mato Grosso do Sul em 2014, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems.

Segundo o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, no período, os principais destaques ficaram por conta dos grupos “Complexo Frigorífico”, “Extrativo Mineral”, “Óleos Vegetais”, “Couros e Peles”, “Alimentos e Bebidas” e “Siderurgia”, que proporcionaram, no comparativo com igual período de 2013, elevação das receitas em US$ 149,7, US$ 48,4, US$ 26,7, US$ 25,3, US$ 4,7 e US$ 3 milhões, respectivamente.

“Com receita equivalente a US$ 248,9 milhões, novembro de 2014, registrou o terceiro melhor resultado já alcançado para o mês em toda a série histórica da exportação de produtos industriais de Mato Grosso do Sul. Atrás somente dos meses de novembro de 2011 e 2013 com US$ 281,4 e US$ 249,7 milhões, respectivamente”, detalhou Ezequiel Resende.

O coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems acrescenta que, quando comparado com os resultados de igual mês, ao longo da série, vale ressaltar que de janeiro de 2010 até agora foram registradas 48 quebras de recorde nas receitas de exportação. “O que equivale a dizer que o recorde para o mês, ao longo desse período, foi quebrado em 81,4% das vezes”, disse.

Desempenho por grupo

No “Complexo Frigorífico”, a receita de exportação, de janeiro a novembro de 2014, alcançou o equivalente a US$ 1,12 bilhão, crescimento de 15,4% em relação ao mesmo período de 2013, quando as vendas foram de US$ 969,3 milhões. Quanto aos produtos exportados o destaque ficou por conta das carnes desossadas e congeladas de bovinos e pedaços e miudezas comestíveis congelados de frango, que, somados, totalizaram US$ 833,2 milhões ou 74,5% da receita do grupo, sendo que os principais compradores são Rússia, Hong Kong, Arábia Saudita, Japão, Venezuela, China e Chile.

Quanto ao grupo “Extrativo Mineral”, a receita de exportação de janeiro a novembro de 2014 alcançou o equivalente a US$ 498,9 milhões, crescimento de 10,7% sobre o mesmo período do ano passado. Resultante, principalmente, das vendas de minérios de ferro não aglomerados e seus concentrados que representam 90,8% da receita total do grupo, tendo como principais destinos Argentina e o Reino Unido.

Já o grupo “Óleos Vegetais” fechou o período de janeiro a novembro de 2014 com receita equivalente a US$ 214,8 milhões, indicando crescimento de 14,2% sobre igual período do ano anterior, quando as vendas foram de US$ 188,1 milhões. Em relação aos produtos exportados os destaques ficaram por conta das farinhas e “pellets” da extração do óleo de soja e dos bagaços e outros resíduos sólidos da extração do óleo de soja, tendo como principais destinos Tailândia, Holanda, Indonésia, Reino Unido, França e Coreia do Sul.

Quanto ao grupo “Couros e Peles” a receita de exportação fechou o intervalo de janeiro a novembro de 2014 com US$ 170,3 milhões, crescimento de 17,5% em relação ao mesmo período de 2013, quando a receita obtida foi igual a US$ 145 milhões. A expansão se deu, basicamente, em função do aumento do preço da tonelada do couro exportado por Mato Grosso do Sul, quando comparado ao mesmo período do ano anterior, o preço médio apresentou valorização 24,0%, tendo como principais compradores China, Itália, Hong Kong, Tailândia e Vietnã.

O grupo “Alimentos e Bebidas” fechou o período de janeiro a novembro de 2014 com receita equivalente a US$ 19,7 milhões, indicando crescimento de 31,5% sobre igual período do ano anterior, quando as vendas foram de US$ 14,9 milhões. Em relação aos produtos exportados os destaques ficaram por conta do arroz, outras preparações para alimentação de animais, amido de milho, fécula de mandioca, tapioca e féculas em flocos, alimentos compostos completos para animais, entre outros, tendo como destino Bolívia, Paraguai, Estados Unidos, Hong Kong e Angola.

Por fim, o grupo “Siderurgia” fechou o período de janeiro a novembro de 2014 com receita equivalente a US$ 10,2 milhões, indicando crescimento de 41% sobre igual período do ano anterior, quando as vendas foram de US$ 7,21 milhões. Em relação aos produtos exportados os destaques ficaram por conta das barras de ferro ou aço, outras construções de ferro e suas partes, outras partes de reboques e semi-reboques, outras partes e acessórios para tratores e veículos, entre outros, tendo como destino Bolívia, Paraguai e Chile.