Canais de Notícia

Economia

Publicada em 12/11/2014

Soja Plus mira mercado europeu para mostrar avanços na produção do País

4ª reunião anual do Soja Plus realizou-se em São Paulo.

Da Abiove

Com a participação de 120 representantes de 45 instituições, entre elas associações de produtores rurais, empresas processadoras e comercializadoras de soja, sociedade civil, setor acadêmico e de pesquisa e executivos do agronegócio, o Programa Soja Plus realizou sua quarta reunião anual em São Paulo, no dia 4 de novembro, apontando para a expansão de suas atividades nos próximos anos.

O Soja Plus começou por Mato Grosso (1º produtor nacional da oleaginosa), em 2011. Está presente, também, em Mato Grosso do Sul (5º maior), Minas Gerais (6º) e Bahia (7º).

“Queremos chegar a outros estados em até três anos. O programa é demandante e precisa de mais pessoas, técnicos, para levar às propriedades as capacitações e o que precisa ser feito de melhorias para elas se adequarem as exigências da legislação brasileira”, diz Carlo Lovatelli.

O investimento total do Soja Plus, desde 2011, é da ordem de R$ 20 milhões.

Um dos idealizadores do programa e, hoje, presidente da Comissão de Meio Ambiente da Famato e consultor da Aprosoja-MT, Ricardo Arioli, ressaltou que um dos objetivos, além de proporcionar melhorias às propriedades, é “transformar o Soja Plus no passaporte para levar a soja brasileira à Europa”. Para o presidente da Abiove, o mercado europeu é o que mais impõe restrições.

“Queremos que o Soja Plus seja um programa de referência e qualidade, tudo o que o europeu quer”, destaca Lovatelli. Nesse sentido, um dos importantes desafios do Programa é a divulgação no exterior, especialmente na Europa, dos seus avanços e resultados de quatro anos de implementação.