Canais de Notícia

Economia

Publicada em 10/11/2014

Preço da soja sobe na sexta em Chicago, mas tem perdas na semana

Mercado está na expectativa de novo relatório do USDA, nesta segunda.

Da Agrinvestor Intelligence

Os preços da soja no mercado futuro da Bolsa de Chicago fecharam a sexta-feira com valorização de até 9 pontos nos contratos mais próximos. A semana, porém, termina com perdas líquidas: novembro, referencial para a soja americana, perdeu 6 pontos, enquanto maio (referencial para a safra brasileira e sul-americana) retrocedeu mais, 14 pontos. O spread novembro/maio recuou para 4 pontos (estava em 12 no final da semana anterior), conforme o boletim Sojanews, da consultoria Agrinvestor Intelligence.

A consultoria aponta que foi o terceiro dia consecutivo de altas, depois de um início de semana de recuos. A alavanca positiva vem da firme demanda pela soja americana, com elevados volumes semanais de exportação, além do desequilíbrio entre oferta e demanda de farelo no mercado interno dos EUA. Mas o avanço da colheita americana, junto a um sentimento de que a produção será ainda maior, continua como fator de pressão e limitador de ganhos maiores.

O mercado está agora na expectativa do novo relatório mensal do USDA sobre a safra americana e mundial, a ser divulgado nesta segunda-feira. Consultorias privadas chegam a estimar que a safra americana poderá bater perto de 110 milhões de toneladas, mas a média das expectativas é de que o USDA deverá divulgar um número de 107,7 milhões, ainda assim acima de sua previsão de outubro (106,9) e de qualquer modo uma safra recorde e bem maior que a do ano passado (91,4). A colheita americana estará chegando ao seu final nos próximos dias. Enquanto isto, no Brasil, o plantio da nova safra segue atrasado, embora tenha avançado melhor na semana que passou.

No mercado brasileiro de câmbio, o dólar comercial encerrou a sexta-feira praticamente estável, com pequeno viés de alta, cotado a R$ 2,561 na compra. Na semana, porém, houve acentuada valorização líquida de 3,3%. A junção de Chicago em alta com dólar firme resultou em preços internos também firmes na sexta-feira nas principais praças de comercialização do país, embora com valores estáveis. No mercado de referência de Paranaguá-PR, o dia terminou em torno de R$ 65,00 por saca.