Canais de Notícia

Economia

Publicada em 16/09/2014

Setor sucroenergético alavancou crescimento de cidades em MS

Municípios que receberam usinas ampliaram população, diz Biosul.

Da Biosul

Dados divulgados pelo IBGE informam que Mato Grosso do Sul possui 12 cidades que perderam habitantes nos últimos 14 anos. Na contramão dessa queda, em algumas cidades do Estado o crescimento da população se destaca.

Uma análise feita pela Associação dos Produtores de Bioenergia de MS, Biosul, verificou que nas cidades onde foram implantadas unidades de produção de açúcar e etanol, a população aumentou de forma acentuada.

Um exemplo é a cidade de Rio Brilhante, que em 2000 tinha cerca de 20 mil habitantes e em 2014 a população aumentou para 34 mil. Nesse período o município de Rio Brilhante recebeu três novas Usinas que empregam mais de 3,5 mil trabalhadores.

Além de Rio Brilhante, Chapadão do Sul, Caarapó, Maracaju e Dourados estão na lista das cidades que mais cresceram no Estado, em todas elas foram implantadas Usinas de Bioenergia nos últimos anos.

Outro fator para crescimento populacional dessas cidades se deve à mecanização da colheita. Com o fim das queimadas, acabou o trabalho safrista, onde o trabalhador permanecia no município apenas no período de colheita da cana-de-açúcar. Agora, fixar residência nas cidades produtoras tornou-se mais vantajoso aos trabalhadores.

Essa migração de trabalhadores criou um ambiente propício também para o comércio, com novas lojas e maior circulação de renda, outro importante fator para o desenvolvimento das cidades, como Chapadão do Sul, que teve o número de habitantes duplicado nos últimos 14 anos. Somente a Usina local emprega mais de mil pessoas.

O Presidente da Biosul, Roberto Hollanda afirma que “ Com o aumento da população, os gestores públicos têm mais demanda pela implementação de serviços, mas o aumento de arrecadação compensa e financia essas mudanças, que beneficiam a população. O nome disso é desenvolvimento.”