Canais de Notícia

Economia

Publicada em 15/09/2014

Feira dos produtores de cana movimentará R$ 2 milhões no Recife

Nos dias 16, 17 e 18, na sede da AFCP, rodadas de negócios de insumos, ferramentas e máquinas.

Da AFCP

Da próxima terça-feira (16) até quinta-feira (18), será realizada no Recife, na Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFCP), pela terceira vez, a única feira de negócios exclusiva para o setor canavieiro nordestino (Norcana). O evento, que é voltado para o pequeno, médio e grande produtor regional, reúne as principais empresas fabricantes de insumo, máquinas, ferramentas e demais produtos agrícolas para o setor, visando contribuir para baixar os custos de produção do agricultor. Nos três dias da feira, serão realizadas rodadas de negócios a preços diferenciados do mercado. A expectativa da organização é uma movimentação financeira de R$ 2 milhões. Ciclo de palestras técnicas e especializadas serão também realizadas diariamente, auxiliando na troca de informação e de tecnologia para o incremento no cultivo dos canaviais nordestinos.

Um dos temas mais esperados é sobre uma máquina desenvolvida pela usina Olho D’água, capaz de realizar a colheita em áreas de difícil acesso. A inovação tecnológica tem reduzido os custos operacionais e de investimento da unidade industrial no corte da cana. A palestra sobre rendimento operacional da máquina, avaliações agronômicas e custos operacionais e investimento será realizada no último dia do evento, 18, às 15h, pelo engenheiro agrônomo da usina, Marcos Mendonça.

Já a palestra de abertura da Norcana, que acontece no dia 16, às 19h, é bastante aguardada pela classe também. O destacado estudioso sobre agronegócio com foco em cana, o professor da USP, Marcos Fava Neves sinaliza que a cultura canavieira continuará com potencialidades de incremento por conta da crescente demanda dos mercados mundiais de açúcar, etanol e bioeletricidade. O indicativo é muito relevante, mas o docente alerta que o país precisa se preparar estruturalmente para suprir tal necessidade planetária.

“Dentro desse contexto, o cenário pode ser positivo para o setor canavieiro, quando observarmos as recentes posições adotadas pelos principais presidenciáveis (Dilma Rousseff, Marina Silva e Aécio Neves) favoráveis à produção de etanol, o que tem contribuído para reacender a nossa esperança em afastar a maior crise enfrentada, originária principalmente pela ausência de planejamento do governo nos últimos anos”, diz Alexandre Andrade Lima, presidente da AFCP – entidade realizadora da Norcana.

No mesmo dia da palestra de Marcos Fava Neves, a meteorologista do Instituto Agronômico de Pernambuco, Francis Lacerda falará às 17h, sobre o comportamento do clima para os meses da colheita da cana. “O agricultor terá um local atrativo de palestras e de negócios e diálogos para eles, mas também entre os nossos parceiros, industriais, órgãos de classe e autoridades do setor privado e público ligados ao segmento regional”, ratifica Hermano Wanderley, gerente comercial da Cooperativa do Agronegócio da AFCP – um dos principais organizadores da Norcana.

No segundo dia do evento, 17, o tema principal das palestras será sobre a diversificação da cultura em favor da melhor lucratividade. Às 16h, o sócio da Divisão da Agropecuária da Agroconsult, Mauricio Nogueira apresenta as perspectivas para o mercado de pecuária de corte. Antes, porém, às 14h, o gerente Comercial da Ubyfol no NE, Danilo Lima fala sobre a nutrição complementar em cana e pastagem. Já às 15h, o representante da Confederação Nacional da Agricultura, João de Carli expõe sobre os detalhes do Cadastro Ambiental Rural. No dia 18/09, às 16h, o agrônomo da usina Carlos Lyra/AL, Shirlan Madeiros aponta os benefícios da produção de eucalipto como uma alternativa econômica para a Zona da Mata Canavieira. Às 14h, o engenheiro Mecânico e gerente de Motomecanização da Usina Trapiche, Cesar Cândido fala da mecanização de encosta com o trator TK.