Canais de Notícia

Economia

Publicada em 04/09/2014

Campo Grande registra nova queda no custo da Cesta Básica

A redução registrada foi de 1,80%, segundo a pesquisa.

Do Dieese

A pesquisa realizada mensalmente pelo Dieese em 18 capitais, constatou que em todas estas cidades houve redução de preços nos treze itens que compõe a cesta básica. Em Campo Grande, a redução registrada foi de 1,80%, o que significa um custo de R$ 288,28, uma redução de R$ 5,27 em relação ao mês de agosto, quando a cesta apresentou um custo de R$ 293,55.

No terceiro trimestre de 2014, os trabalhadores de Campo Grande continuaram a experimentar uma redução, tanto em termos percentuais quanto nos preços dos produtos alimentícios que compõem a Cesta Básica, da ordem de (-10,98%) e R$ 35,56, respectivamente.

Campo Grande, como no mês anterior, manteve a 12ª posição em termos de valores reais no custo da cesta, mas a 8ª variação negativa, contra a 5ª na coleta precedente, entre as dezoito cidades analisadas em agosto. No período de 12 meses, o percentual foi timidamente negativo, pois a cesta exibiu retração de 0,29%. No ano, o registro permanece consideravelmente negativo (-4,29%).

Novamente a maior variação em Reais (R$) foi notada em Florianópolis/SC, onde a cesta representou uma despesa de R$ 340,62. A retração mais expressiva, em termos percentuais, foi registrada em Manaus/AM (-7,69%).

Goiânia lidera a redução de preço da Cesta Básica na região Centro-Oeste1, cujo valor foi de R$ 276,18, ou (-1,69%). Em Brasília/DF, mesmo com uma retração de 1,19%, os trabalhadores desembolsaram R$ 8,99 a mais para conseguir obter a cesta, enquanto que em Goiânia a redução foi de R$ 12,10, em relação aos valores desembolsados pelos trabalhadores campo-grandenses.

Custo da Cesta Básica Familiar

O Dieese multiplica por três o valor da cesta apontado na pesquisa realizada mensalmente nas capitais, de modo a obter o custo de aquisição da cesta básica para uma família. Neste caso, considera-se que uma família é composta por quatro pessoas, composta por dois adultos e duas crianças, cujo consumo equivale ao de um adulto.

Com uma diferença de R$ 23,81 em relação ao mês de julho, a cesta básica familiar representou uma despesa de R$ 864,84 em agosto. A permanência deste quadro de retração fez com que o valor da cesta seja equivalente a 1,29 vezes o salário mínimo bruto. O valor da cesta básica familiar em julho foi de R$ 888,65.

Comportamento dos preços

Pelo segundo mês consecutivo o comportamento dos preços da cesta básica em todas as capitais pesquisadas exibiu retração de preços. Em Campo Grande/MS o índice registrado foi de (-1,80%). Registraram alta os preços de farinha de trigo (1,50%), pão francês (0,66%), carne (0,63%) e leite (0,40%). Pela primeira vez, desde o começo da pesquisa em Campo Grande, foi observada estabilidade (0,00%) em três itens, a saber, arroz, banana e açúcar.

Quase na mesma sequência de baixas do mês de julho, retrações significativas foram constatadas nos preços da batata (-19,14%), tomate (-8,05%), feijão (-6,75%), café (-3,51%), óleo de soja (-3,21%), e manteiga (-2,16%).