Canais de Notícia

Economia

Publicada em 08/08/2014

Geller anuncia acordo com Rússia com liberação recorde para exportação

Foram liberados 87 estabelecimentos para a exportação de carnes para a Rússia.

Do Mapa

O serviço sanitário russo (Rosselkhoznadzor) autorizou nessa quarta-feira (06) a liberação de 87 estabelecimentos para exportação de carnes, miúdos de carnes, aves, miúdos de aves, suínos e miúdos de suínos. Umas das novidades é a inclusão de 2 estabelecimentos de produtos lácteos. No total 89 frigoríficos foram liberados. Duas novas plantas podem ser confirmadas nos próximos dias.

“Frente a este resultado, o Brasil ampliará substantivamente suas exportações de carnes e lácteos para os países da União Aduaneira, consolidando a parceria no agronegócio internacional e as relações de confiança e amizade entre os dois países”, afirmou o ministro da Agricultura, Neri Geller.

A Rússia já é o principal destino das exportações brasileiras de carnes suína e bovina. Apenas de carne bovina in natura, foram comercializadas entre Brasil e Rússia, em 2013, 303 mil toneladas, gerando US$ 1,2 bilhão em receitas. De carne suína, foram exportados 134 mil toneladas, com receita na ordem de US$ 412 milhões. Os produtos agropecuários exportados à Rússia no ano passado garantiram o ingresso de US$ 2,72 bilhões na balança comercial brasileira.

Histórico

Durante a 82ª Assembleia Geral da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), realizada no final de maio deste ano em Paris, França, o ministro Neri Geller manteve entendimentos com o chefe do Serviço Veterinário da Federação Russa, Serguey Dankvert, quando trataram da importância do monitoramento do serviço sanitário brasileiro como garantidor da sanidade do produto exportado. Foi tratado ainda sobre o envio de listas de potenciais fornecedores de carne para a Rússia. Na ocasião, Dankvert disse estar satisfeito com as relações com o Brasil, demonstrando potencial para intensificar a parceria.

No dia 14 de julho, também deste ano, a presidente Dilma Rousseff recebeu no Brasil o presidente da Rússia, Vladimir Putin, quando foram assinados uma série de acordos bilaterais nas áreas de economia, defesa, tecnologia, energia e produção de vacinas. Um dos principais termos dos acordos previa o aumento das trocas comerciais entre os dois países ao patamar de US$ 10 bilhões anuais.

Nos últimos dias 5 e 6 de agosto, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) realizou uma missão técnica junto a Federação Russa que rendeu a aprovação de Serviços de Inspeção Federal (SIFs) para a comercialização de miúdos (rim, fígado, coração, intestino) e a oficialização do Certificado Sanitário Internacional (CSI) para a exportação de lácteos para a União Aduaneira (UA), formada pela Rússia, Bielorússia e Casaquistão. Foi apresentado ainda um protocolo com as exigências fitosanitárias da UA para exportação de trigo da Rússia para o Brasil.