Canais de Notícia

Economia

Publicada em 05/08/2014

Índice de Confiança do Produtor Rural indica pessimismo

Levantamento do AgroFEA mostra queda de 34% na confiança do produtor.

Da AgroFEA

O Índice de Confiança do Produtor Rural (ICPRural) e o Índice de Confiança do Produtor de Soja (ICPSoja) apresentaram os piores resultados desde que começaram a ser medidos, em 2010, indicando baixa confiança dos agricultores. Os índices apontaram 68,7 e 75,6 pontos, respectivamente, sendo que valores abaixo dos 100 pontos indicam pessimismo por parte dos produtores rurais. Na rodada anterior, divulgada em abril, esses números eram 104,3 e 114,5.

“Já há seis meses o cenário mostra uma situação de piora. Na rodada anterior, que se deu em época de colheita, não houve a queda que se esperava principalmente devido aos bons preços dos grãos”, avalia Roberto fava Scare, Coordenador do AgroFEA, Programa de Pesquisa em Agronegócio da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto. Nesta 31ª rodada, a expectativa de queda de preço ao final da safra, um reflexo da supersafra anunciada nos Estados Unidos, deixou o produtor ainda mais cauteloso com relação ao equilíbrio do seu negócio.

“Além dos preços de venda, os produtores enfrentam elevação nos custos de produção o que resulta em menos investimento em máquinas, implementos e insumos em geral”, afirma Fava Scare. Ele lembra porém que com a incidência de novas pragas e doenças nas lavouras, mesmo que haja uma redução de investimentos não será tão intenso, no que se refere a insumos.

“A produção rural é um sistema que exige escala e eficiência mas, neste próximo ano, a expectativa é que essa pressão sobre o agricultor aumente ainda mais. Além de um aumento custos, que já era uma realidade, temos agora a queda no preço dos grãos, uma das poucas commodities que ainda se sustentava”, diz o pesquisador.

“Já aconteceram outros momentos em que os custos aproximavam-se das receitas. Porém, é importante lembrar que este cenário de preocupação parte de um setor que vem segurando a economia brasileira”, destaca Roberto Fava Scare. Dentre os subíndices que compõem o ICPRural e ICPSoja o que se refere às condições atuais da economia também apresentou quedas acentuadas. No ICPRural a queda foi de 39%, indo de 94 para 57,7 pontos enquanto que para os produtores de soja a queda foi de 30%, partindo de 93,9 para 65,8 pontos.

“Em um cenário econômico preocupante, com ‘estagflação’, notamos que o grande motor apresenta sinais de desgaste”, completa o pesquisador. Segundo Fava Scare, o impacto do desequilíbrio no agronegócio também aumenta o risco financeiro pode aumentar uma vez que existe uma grande tomada de crédito de longo prazo inerente à produção agrícola.