Canais de Notícia

Economia

Publicada em 10/07/2014

Exportação de industrializados de MS cresce 7,1%

Os produtos industriais respondem por 63% da receita de exportação.

Fiems

As exportações de produtos industrializados de Mato Grosso do Sul apresentaram, de janeiro a junho deste ano, crescimento de 7,1% e a receita superou US$ 1,81 bilhão contra US$ 1,69 bilhão no mesmo período do ano passado, ou seja, 63% da receita do total de exportação do Estado, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems. Segundo o coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisas da Fiems, Ezequiel Resende, no primeiro semestre, as maiores evoluções ocorreram, principalmente, nos grupos “Complexo Frigorífico”, “Óleos Vegetais”, “Couros e Peles”, “Papel e Celulose” e “Extrativo Mineral”, que proporcionaram, no comparativo com igual período de 2013, elevação das receitas em US$ 83,7, US$ 57,8, US$ 32,3, US$ 31,1 e US$ 28,4 milhões, respectivamente.

“Com receita equivalente a US$ 385 milhões, junho de 2014, registrou o melhor resultado mensal já alcançado em toda a série histórica da exportação de produtos industriais de Mato Grosso do Sul, superando os melhores resultados registrados até agora, que eram dos meses de maio de 2014, setembro de 2011 e julho de 2013 com US$ 367,4, US$ 366 e US$ 354,4 milhões, respectivamente. Quando comparado com os resultados de igual mês, ao longo da série, vale ressaltar que de janeiro de 2010 até agora foram registradas 45 quebras de recorde nas receitas de exportação. O que equivale a dizer que o recorde para o mês, ao longo desse período, foi quebrado em 83,3% das vezes”, avaliou Ezequiel Resende.

Principais responsáveis

Ele acrescenta ainda que, nos seis primeiros meses deste ano, os segmentos “Complexo Frigorífico”, “Celulose e Papel” e “Extrativo Mineral” responderam por mais de 76% da receita total da exportação de produtos industrializados de Mato Grosso do Sul. No “Complexo Carne”, a receita de exportação alcançou o equivalente a US$ 587,9 milhões, crescimento de 16,6% em relação ao mesmo período de 2013, quando as vendas foram de US$ 504,2 milhões, com destaque para as carnes desossadas e congeladas de bovinos e pedaços e miudezas comestíveis congelados de frango, tendo como principais compradores Rússia, Hong Kong, Arábia Saudita, Japão, Venezuela, Chile e China.

Em relação às exportações do grupo “Papel e Celulose”, o destaque, naturalmente, ficou por conta da celulose, que, de janeiro a junho de 2014, registrou receita de exportação equivalente a US$ 524,3 milhões ou 97% da receita total do grupo. Quando comparado com igual período de 2013 a receita obtida com o produto apresentou evolução de 7,6%. Já os principais compradores são China, Itália, Holanda, Estados Unidos e Coreia do Sul. Quanto ao grupo “Extrativo Mineral” a receita alcançou o equivalente a US$ 262 milhões, crescimento de 12,1% sobre o mesmo período do ano passado. Resultante, principalmente, das vendas de minérios de ferro não aglomerados e seus concentrados que representam 93,5% da receita total do grupo, tendo como principais destinos a Argentina e Reino Unido.