Canais de Notícia

Economia

Publicada em 02/07/2014

Catho-Fipe estima a taxa de desemprego de junho em 5,0%

Estimativa é calculada com base em dados imediatamente disponíveis na internet.

Da Catho-Fipe

A taxa de desemprego de junho medida pela PME/IBGE deve ficar em 5,0%, segundo a projeção Catho-Fipe. Esse valor é 0,9 ponto percentual menor do que o registrado em junho de 2013, o que confirma a tendência de queda desse indicador.

O IBGE não divulgou a taxa de desemprego de maio, porque os dados de duas das seis regiões pesquisadas não foram disponibilizados. Com base nas quatro taxas regionais divulgadas, a taxa de desemprego parece ter ficado estável na comparação de maio com abril. Assim, esse resultado de 5,0% para junho pode representar uma pequena elevação na comparação mensal.

Se confirmado, será o menor valor para um mês de junho de toda a série histórica, iniciada em 2002. Por questões sazonais, o início do ano normalmente apresenta movimentos de alta na taxa de desemprego. É uma época em que as pessoas que deixaram a força de trabalho no final do ano retomam a busca por vagas, levando a um aumento natural na proporção de desempregados. Esse ano, porém, tem exibido comportamento atípico. Desde o início do ano, a taxa de desemprego tem oscilado ao redor de 5,0%, sendo que em março e em abril a taxa caiu em relação a fevereiro e março respectivamente pela primeira vez desde o início da série.

Ao compilar e processar informações de currículos, anúncios de vagas e de contratações disponibilizados pela Catho, a Fipe calcula uma estimativa para a taxa de desemprego da Pesquisa Mensal de Emprego (PME/IBGE)*. A estimativa da Taxa de Desemprego Antecipada de junho de 2014 é de 5,0%, um ponto percentual menor em relação ao mesmo mês de 2013.

Este resultado, se confirmado, representará a menor taxa de desemprego já apurada pelo IBGE para o mês de maio desde a introdução da atual metodologia da PME, iniciada em 2002.

A estimativa da Taxa de Desemprego Antecipada é feita por meio da técnica do “nowcasting”, que utiliza dados disponibilizados em “tempo real” para produzir informações e estatísticas precisas, sem a necessidade de esperar semanas ou meses até os institutos de pesquisa divulgarem os indicadores oficiais e defasados. No caso da Taxa de Desemprego, a Fipe cruza informações obtidas com buscas na Internet (por meio de palavras chave relacionadas a emprego, por exemplo) com informações de vagas, candidatos e contratações da Catho, além de outros dados econômicos e também a própria série da PME dos meses anteriores para estimar a taxa de desemprego do mês corrente, sempre divulgada no último dia útil do mês.