Canais de Notícia

Economia

Publicada em 02/07/2014

Cargill pretende implantar unidade de refino de glicerina em MS

Investimento previsto no projeto é de R$ 240 milhões.

A Cargill, uma das maiores empresas do segmento de alimentos do mundo, apresentou ao Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul (Imasul) o Relatório de Impacto Ambiental (Rima) do projeto de ampliação do seu complexo industrial em Três Lagoas, no leste do Estado.

O projeto prevê a expansão da atual fábrica de moagem de soja, da produção de farelo, da extração de óleo de soja e a implantação de uma nova planta para a refino de glicerina. Com a ampliação das instalações, a Cargill pretende fazer com que sua unidade de produção de biodiesel que atualmente opera com 80% da capacidade atinja carga plena.

Segundo o Rima, no processo de produção de biodiesel, além do biocombustível também é processada a glicerina. Atualmente o produto fabricado na unidade tem de 80% a 85% de pureza. Com a nova unidade, será processada glicerina com grau de pureza de 99%, que será destinada a indústria farmacêutica e de cosméticos.

Com o projeto a Cargill pretende ampliar a capacidade de processamento de grãos de 2.100 toneladas/dia para 3.200 toneladas dia. Já a nova unidade de refino de glicerina deve produzir 80 toneladas por dia.

Para facilitar o escoamento desse novo volume de produção, o projeto, de acordo com o Relatório de Impactos Ambientais (Rima), prevê a ampliação do terminal intermodal para carregamento do farelo a granel por barcaças e a expansão do ramal ferroviário para que o biodiesel também seja escoado por este modal.

O projeto de expansão do completo prevê investimento de R$ 240 milhões. O prazo para a conclusão das obras é de 12 meses e a mão de obra estimada para a ampliação das instalações é de 500 trabalhadores.

Quando estiver concluído, o projeto demandará a contratação de 25 novos colaboradores, elevando para 428 o número de funcionários do complexo no leste do Estado.