Canais de Notícia

Economia

Publicada em 04/04/2014

Pressão no mercado de etanol é açúcar é destaque em conferência da Datagro nos EUA

Evento será promovido em Nova York, no dia 14 de maio.

Da assessoria

A pressão sob o mercado de açúcar e etanol no cenário global é o foco central das discussões na VIII Iso Datagro New York Sugar & Ethanol Conference, que sera realizada no dia 14 de maio, no Waldor fAstoria, em Nova York, nos Estados Unidos.

Segundo a consultoria Datagro, os preços no mercado de açúcar seguiram tendência de baixa em 2013. O excedente de produção mundial na safra passada e a perspectiva de novo excedente em 2013/14 garantiram a continuidade desta tendência de queda das cotações internacionais.

A consultoria aponta ainda que na Ásia, desde 2007, a produção de açúcar ultrapassa a demanda gerando assim consecutivos excedentes. Há indicações que o cenário continuará o mesmo na safra 2013/14, devido aos períodos de monções em grande parte do continente, que resultam em uma produção melhor do que o esperado em vários países daquela região.

Já na União Europeia, a Datagro ressalta que após a decisão em junho de 2013 pelo fim do regime de quotas de produção de açúcar, o mercado europeu e também mundial terá um grande desafio: se adaptar à nova condição de oferta e demanda. Dentre os principais produtores de açúcar no mundo, apenas União Europeia, Rússia e Índia apresentaram redução de produção relevante na safra 2012/13, em comparação com a safra 2011/12, de 8,5%, 6,0% e 4,3%, respectivamente. Apesar da queda de produção, União Europeia e Rússia continuaram produzindo volumes significativamente maiores que a média dos últimos 5 anos.

Em contrapartida, a consultoria aponta que mercado de etanol brasileiro foi beneficiado por medidas governamentais no ano de 2013, que apesar de não suprirem as necessidades do setor, aumentaram a rentabilidade do etanol e incentivaram a produção e o consumo do produto, dando um folego a mais para que o setor se mantenha em 2014. Dentre elas, o aumento de 6,6% do preço da gasolina, em janeiro, o aumento da mistura obrigatória de anidro na gasolina, de 20% para 25%, e a desoneração do PIS /COFINS para o etanol, a partir de maio.

Nos Estados Unidos, o fator que mudou os preços das ações das produtoras de etanol foi a proposta feita pela Agência de Proteção Ambiental norte-americana (EPA), de redução da mistura do biocombustível à gasolina. A proposta da EPA é de mistura de 15,2 bilhões de galões de etanol no próximo ano, volume 16% abaixo da lei de 2007.

Outras duas fontes que prometem mudar o cenário de biocombustíveis mundiais são o gás de Xisto e o petróleo de areia betuminosa. Barateando o custo de produção de combustíveis fosseis, e potencialmente postergando o desenvolvimento do setor de biocombustíveis.