Canais de Notícia

Economia

Publicada em 21/03/2014

Biosev aprova plano para fortalecer posição competitiva

Conselho aprovou por unanimidade revisão no Plano de Negócios proposta pela nova administração.

Da assessoria

A Biosev, segunda maior processadora de cana-de-açúcar do país, informa que seu Conselho de Administração aprovou hoje uma revisão em seu Plano de Negócios. A revisão, proposta pela nova gestão da Biosev, inclui medidas operacionais, financeiras e estruturais que permitirão à companhia adequar melhor sua estrutura e atuação às atuais condições do mercado, fortalecer sua posição competitiva e assegurar, no curto prazo, um ritmo sustentável de geração de caixa livre e a geração de valor a todos os seus acionistas.

“O Conselho de Administração e o acionista controlador têm plena confiança no time de gestão da Biosev”, disse Claude Ehlinger, presidente do Conselho da Biosev e Diretor Financeiro da Louis Dreyfus Commodities Holdings. “Acreditamos que o plano de negócios revisto e aprovado por unanimidade pelo Conselho ajudará a Biosev a se tornar mais eficiente em suas operações agrícola e industrial e a maximizar a utilização de sua capacidade instalada.”

Nos últimos anos, o setor sucroalcooleiro brasileiro tem enfrentado um prolongado período de baixa em seu ciclo natural de negócios, principalmente por conta dos baixos preços de etanol no mercado doméstico e dos baixos preços internacionais do açúcar, reflexo do excesso de oferta mundial do produto. Esse cenário foi agravado por eventos climáticos atípicos, registrados na safra passada, que impactaram a produção de cana nas regiões Centro Sul e Nordeste.

No âmbito operacional, o plano de negócios prevê:

a) A criação do Polo Agroindustrial de Ribeirão Preto, composto pelas usinas Santa Elisa, Vale do Rosário, MB, Continental e Jardest, com o objetivo de melhorar a eficiência das unidades do polo e capturar mais sinergias entre elas, além de reforçar o foco da Biosev na região, uma das mais aptas para o desenvolvimento do setor sucroalcooleiro, e onde a empresa já tem uma posição de liderança;

b) A hibernação da usina de Jardest e redirecionamento de sua cana-de-açúcar para outras unidades do polo, elevando a taxa de utilização de capacidade instalada da companhia;

c) Indicação de um time de gestão exclusivo às unidades de Leme e Lagoa da Prata, garantindo total dedicação aos trabalhos de melhoria de desempenho dessas usinas independentes;

d) Alocação seletiva do Capex da companhia, reduzindo os investimentos industriais discrecionários da empresa no curto prazo.

No plano financeiro, a companhia irá adotar as medidas visando o alongamento do perfil da dívida ao mesmo tempo que buscará a redução da necessidade de capital de giro.

Já no plano operacional, a Biosev vai implantar uma nova organização voltada à gestão dos recém-criados polos agroindustriais, com menos níveis hierárquicos. Isso permitirá à companhia agilizar e descentralizar o processo decisório, e implicará em uma redução de cerca de 20% no seu quadro executivo.

O time de gestão estima que a revisão no Plano de Negócios terá impacto negativo de R$ 740 milhões, líquido de impostos. Desse valor, cerca de 50% se refere a provisões de ativos de impostos diferidos e 47% a ativos fixos. Apenas R$ 20 milhões podem ter impacto sobre o EBITDA ajustado, com efeito sobre o caixa da companhia, valor derivado basicamente da hibernação da usina de Jardest.

O balanço financeiro da companhia para o período que se encerra em 31 de março de 2014, a ser divulgado de acordo com o calendário corporativo da Biosev, trará dados mais precisos sobre o impacto financeiro e tratamento contábil do novo Plano de Negócios. Além disso, com base no Plano de Negócios revisado e nas atuais condições de mercado, a administração estima que os ativos biológicos da companhia terão uma redução líquida de impostos em seu valor justo entre R$ 120 milhões e R$ 180 milhões.

Disclaimer

O Plano de Negócios revisado contém projeções e estimativas da companhia em relação a vários fatores que fogem ao seu controle, como expectativas futuras sobre macroeconomia, crescimento econômico, custo de financiamento, entre outros. Todas essas projeções e estimativas estão sujeitas a mudanças, riscos e incertezas além do controle da companhia. Qualquer mudança relacionada aos fatos descritos acima podem levar a resultados diferentes das estimativas aqui mencionadas. Caso esses fatores sofram alterações significativas, essas estimativas podem ser revistas.