Canais de Notícia

Ciência & Tecnologia

Publicada em 02/08/2013

Empresa dos EUA anuncia produção de etanol celulósico em escala industrial

Ineos Bio vai produzir 30,2 milhões de litros em sua usina na Flórida.

A empresa norte-americana Ineos Bio anunciou nesta quarta-feira (31) que iniciou a produção de etanol celulósico em escala industrial em sua usina em Vero Beach, na Flórida. Essa é a primeira companhia que anuncia a fabricação em larga escala do biocombustível de segunda geração. Os primeiros embarques do produto estão previstos para ocorrer neste mês.

"Estamos muito satisfeitos com o progresso feito pela nossa equipe em Vero Beach", afirmou Peter Williams, diretor-executivo da Ineos Bio e presidente da Ineos Novo Planeta Bioenergia. "Eles têm tratado com sucesso os desafios de se mover de uma nova tecnologia para a produção em larga escala pela primeira vez. Portanto, agora estamos satisfeitos em anunciar que estamos a produzir quantidades comerciais de bioetanol a partir de resíduos vegetal e madeira", comentou.

A usina é um projeto da joint venture criada pela Ineos Bio e Novo Planeja Bioenergia. A empresa aponta que já utilizou vários tipos de matérias-primas para a produção de etanol celulósico, como, por exemplo, resíduos vegetais, citrus, carvalho, pinheiro e paletes de resíduos de madeira.

Segundo a empresa, a usina deverá ter uma produção anual de 8 milhões de galões de etanol celulósico, o equivalente a 30,2 milhões de litros, e de 6 megawatts (MW) de bioeletricidade. A companhia aponta que a usina começa a produzir de olho nas metas de utilização de biocombustíveis estabelecidos pelo Renewable Fuel Standard (RFS2), mandato federal que determina volumes de produção e utilização de biocombustíveis no país.

O investimento para a implantação da usina, conforme a empresa foi de mais de US$ 130 milhões e 90% do material utilizado na construção veio do país. Na operação, a usina conta com 65 funcionários.

A Ineos aponta que a usina será uma referência para a implantação de usinas de etanol celulósico em todo o mundo, e que vai ampliar ainda mais o portfólio da empresa como uma das principais licenciadoras globais de tecnologia nos processos químicos, representando ainda uma nova alternativa para a eliminação sustentável de resíduos de biomassa.

(*Com informações da Ineos Bio)