Canais de Notícia

Ciência & Tecnologia

Publicada em 11/03/2013

Tecnoagro apresenta pesquisas desenvolvida pela Fundação Chapadão

Evento de agrotecnologia está sendo promovido em Chapadão do Sul.

Famasul

Aumentar a produção de soja de 47 para 69 sacas por hectare em dois ciclos de safra. Esse é um dos resultados obtidos pela Fundação Chapadão com pesquisas combinando técnicas de rotação de culturas, de sucessão de cobertura do solo durante o inverno e de tratamento de sementes. O resultado dessas pesquisas está sendo apresentado na Tecnoagro 2013, feira de tecnologia que termina nesta quinta-feira (7), em Chapadão do Sul (MS).

“A pesquisa, o conhecimento e a inovação foram os fatores que fizeram o Brasil chegar aonde chegou e ser líder na produção de alimentos”, afirmou o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Sistema Famasul), Eduardo Riedel, durante a abertura da feira, na manhã desta quarta.

O presidente da Associação dos Produtores de Soja de MS (Aprosoja/MS), Almir Dalpasquale, também destacou o mérito das pesquisas que estão por trás da evolução na produção de grãos. “Mato Grosso do Sul tem o privilégio de ter duas fundações de extrema competência no desenvolvimento de tecnologias para o campo: a Fundação MS e Fundação Chapadão”, valorizou.

Criada há 16 anos, a Fundação Chapadão é uma instituição de pesquisa formada pelos produtores rurais do Nordeste de Mato Grosso do Sul e de Chapadão do Céu (GO). Por conta da migração dos agricultores, atualmente congrega associados também de Mato Grosso e do Pará. Voltada para o desenvolvimento de tecnologias para a agricultura, a instituição mantém atualmente cerca de 240 pesquisas em andamento.

Durante a abertura, Riedel destacou ainda que os gargalos vividos atualmente pelo setor rural não têm por base a limitação tecnológica. “As maiores dificuldades, tais como as relacionadas à logística e as questões fundiárias, requerem ações de ordem política. É nessa esfera que atuamos ininterruptamente, tal como estamos fazendo agora junto com a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil) defendendo a liberação dos portos para a iniciativa privada”, destacou.

O Sistema Famasul está presente na feira com um estande onde técnicos do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar/MS) fazem plantão para tirar dúvidas dos produtores sobre assuntos como o novo Código Florestal, segurança no trabalho (NR31) e o pagamento de royalties para a Monsanto. Durante a abertura, foi assinado um convênio formalizando repasse de R$ 450 mil do Fundo de Desenvolvimento das Culturas do Milho e da Soja (Fundems) para o desenvolvimento do projeto "Rede de avaliação de cultivares de soja e híbridos de milho para o Estado de MS".