Canais de Notícia

Ciência & Tecnologia

Publicada em 05/02/2015

Artigo: Inovação e qualificação alavancam o agronegócio em MS

Estado tem muito a crescer com o setor, mas demanda profissionalização.

*Por Thamylon Camilo Dias

O agronegócio merece destaque por promover o crescimento econômico de Mato Grosso do Sul, o qual se encontra entre os cinco maiores produtores de grãos do país e por possuir dentre seus municípios, um considerado a capital mundial da celulose (Três Lagoas). No Estado, o setor, que já foi líder na pecuária, hoje apresenta uma variedade de produtos e serviços, principalmente das cadeias produtivas do boi (carne e couro), da cana-de-açúcar (açúcar e álcool), do milho, da soja e do eucalipto (celulose e energia), que lideram as áreas produtivas.

No cenário nacional a balança comercial teve grande variação nos últimos anos, sendo que o agronegócio foi o principal setor a impulsionar as exportações, com a participação de 44% em 2014. Vale ressaltar, que o agronegócio teve um papel importante no mercado de trabalho, responsável por 37% da geração de empregos no ano passado.

Toda essa evolução advém de muito esforço e profissionalismo por parte dos produtores, que estão deixando de lado o tradicionalismo e o preconceito à mudança. Hoje em dia, o produtor não é visto apenas um mero pecuarista ou agricultor, mas sim admirado como um empreendedor rural, que deve conhecer ou ter acesso as principais ferramentas de gestão do agronegócio, as quais propiciam o sucesso do empreendimento e a garantia de estar produzindo de forma sustentável.

Atualmente, a agenda do produtor envolve diversos itens, independente da cultura que ele produz, como a gestão da propriedade com foco nos custos; busca por inovação e alta produtividade; uso de ativos, ações coletivas locais e consórcios; fortalecimento das associações e cooperativas; diversificação da atividade e especialização; comprometimento; assim como estratégia política em prol do agro.

Todos esses fatores aliados à qualificação de mão de obra por meio de treinamentos, pós-graduação e especializações em temas do agronegócio possibilitam o sucesso do empreendimento rural, gerando alta produtividade e lucratividade. Sem falar que o setor tem uma vantagem competitiva quando comparamos a outras regiões ou países, pois sabemos que as condições climáticas brasileiras facilitam a alta produtividade no campo. Já o investimento na modernização da agricultura, da infraestrutura de rodovias e portos para escoamento da produção ampliaria ainda mais os resultados.

O conjunto de fatores somados gera maior qualidade dos produtos advindos das cadeias produtivas do agronegócio e principalmente, geram maior segurança aos investidores para se instalarem em nossa região. Prova disso é a abertura de duas novas fábricas do setor florestal, uma no segmento de celulose, outra no segmento de laminação e uma indústria de processamento de grão de um grupo estrangeiro, que vão movimentar a indústria e o comércio das cidades que sediarão esses empreendimentos, gerando emprego, renda, trabalho, etc.

O estado de Mato Grosso do Sul tem muito a crescer e se desenvolver com o agronegócio. Por isso, a importância da profissionalização do setor, que deve ser encarado como empresa, investir em conhecimento e tecnologia para aumentar a produtividade e principalmente qualificar a mão de obra.

*É engenheiro florestal e professor mestre do curso de Gestão de Agronegócio do Centro Universitário Anhanguera de Campo Grande