Canais de Notícia

Ciência & Tecnologia

Publicada em 15/10/2012

Pesquisador Maurício Lopes é o novo presidente da Embrapa

Engenheiro agrônomo, ele está na empresa desde 1989 e ocupava o cargo de diretor-executivo de Pesquisa e Desenvolvimento.

MAPA

O engenheiro agrônomo Maurício Antônio Lopes foi indicado pelo Ministro Mendes Ribeiro para ser é o novo presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). A nomeação dele foi publicada nesta quarta-feira, 10 de outubro, no Diário Oficial da União (DOU).

Pesquisador da Embrapa desde 1989, ele ocupava o cargo de diretor-executivo de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa. Também atuou como pesquisador em genética e melhoramento de plantas, líder do programa de melhoramento de milho e chefe de Pesquisa & Desenvolvimento da Embrapa Milho e Sorgo (Sete Lagoas/MG); gestor do Núcleo Temático de Recursos Genéticos, chefe de Pesquisa & Desenvolvimento e articulador internacional da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia (Brasília-DF); chefe do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa (Brasília-DF); coordenador responsável pela implantação do Labex Coreia, programa de cooperação internacional da Embrapa na Ásia, em Suwon, República da Coreia; além de membro do Conselho Científico da Fundação Agropolis, Montpellier, França.

Mineiro de Bom Despacho (MG), Maurício Antônio Lopes é formado pela Universidade Federal de Viçosa/MG, tem mestrado em Genética pela Purdue University (EUA), doutorado em Genética Molecular pela University of Arizona (EUA) e pós-doutorado pelo Departamento de Agricultura da FAO-ONU (Roma-Itália). Atuou como pesquisador da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais, como gerente de agricultura da Kieppe Agropecuária/BA e como gerente de território da Purina Alimentos Ltda – RJ.

Quando formulou o convite, o Ministro Mendes Ribeiro recomendou ao novo Presidente que, em conjunto com seus diretores e os funcionários da Embrapa, intensifique as ações necessárias ao fortalecimento da Empresa, inclusive no plano internacional, como instituição geradora de tecnologia, assim como no apoio ao desenvolvimento das propriedades e dos produtores rurais brasileiros.