Canais de Notícia

Ciência & Tecnologia

Publicada em 14/11/2014

Estudos mostram tecnologias para próxima safrinha de milho

Fundação MS apresenta resultados de pesquisas em 10 municípios.

Da Fundação MS

Começaram a ser apresentados nesta quinta-feira (13), em Rio Brilhante, os resultados das pesquisas relativas a cultura de milho, realizadas pela Fundação MS, em parceria com o Senar/MS (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural). Já nesta sexta-feira (14), o evento será realizado em Dourados, a partir das 8h, no Sindicato Rural. O destaque nesta edição vai para a validação de híbridos de milho, que pode ajudar produtores rurais e consultores a escolherem materiais mais adequados para a próxima safrinha.

De acordo com o pesquisador de fitotecnia milho da Fundação MS, André Lourenção, apresentar os resultados da rede de validação de híbridos de milho é uma forma de ajudar o produtor a escolher melhores tecnologias para o próximo ano. “Ele poderá ver o ranqueamento e a posição dos materiais nas tabelas. Toda safrinha a gente repete esse trabalho, mantendo os híbridos que já são padrões e os de lançamentos”, explica.

Para esta pesquisa, foram testados 70 híbridos, em média, implantados em sete cidades pelo Estado. “Dependendo da região que o produtor está situado, ele poderá utilizar os dados daquele local, além da média dos sete municípios, que vai dar uma ideia de como é a estabilidade dos materiais. E então, utilizando essas informações, ele pode escolher o material mais adequado para a próxima safrinha”, diz.

Segundo o pesquisador, os resultados das pesquisas facilitam as escolhas do produtor, já que, por meio disso, poderão escolher materiais mais adaptados e ajustados. “Dessa forma, terão condições maiores de serem eficientes em seus sistemas, com escolhas pautadas em estudos, o que possibilita maiores produtividades”, complementa.

Também será abordado o consórcio de milho com capim, a fim de discutir os gargalos

observados na realização dessa união e as novas tecnologias no meio agro. “Vamos falar dos erros e dar algumas dicas de como fazer essa parceria bem feita e bem estruturada. Outro ponto que vamos abordar é a ideia de inovação dentro do agronegócio, e os desafios que teremos daqui pra frente”, finaliza André.