Canais de Notícia

Ciência & Tecnologia

Publicada em 02/10/2014

Fibria apresenta estudos de inovação em biocombustíveis e nanocelulose

Estudos vão ser apresentados em evento em São Paulo.

Da Fibria

Líder mundial na produção de celulose de eucalipto, a Fibria será uma das expositoras do 47º Congresso e Exposição Internacionais de Celulose e Papel, principal evento latino-americano do setor, organizado pela Associação Brasileira Técnica de Celulose e Papel (ABTCP), e que será realizado entre os dias 7 a 9 de outubro, no Transamérica Expo Center, em São Paulo.

No estande da empresa, os visitantes poderão conhecer um pouco mais sobre o Centro de Tecnologia da Fibria e as inovações empregadas no manejo florestal, melhoramento genético do eucalipto e biotecnologia. Além disso, serão apresentadas as pesquisas desenvolvidas para a produção de biocombustíveis, a partir de biomassa florestal, e o processo para obtenção de nanocelulose.

Em linha com o tema desta edição, “Competitividade: sua empresa está preparada para o futuro?", a Fibria apresenta suas contribuições para transformar e desenvolver o setor de celulose e, principalmente, sua capacidade de inovar para atender às necessidades da sociedade por meio de produtos provenientes da floresta.

“Mais do que se preparar para o futuro, a Fibria busca inovar para transformar o amanhã a partir de novas tecnologias. Além dos estudos na área industrial e florestal, compartilharemos também parte de nossos projetos sociais que mostram nossa preocupação em estimular o econômico ao passo em que desenvolvemos o social e o ambiental”, explica o diretor Industrial da Fibria, Paulo Silveira.

Segundo ele, também estarão em exposição produtos provenientes do Programa de Desenvolvimento Rural e Territorial (PDRT), como a farinha, o milho e o maracujá. O PDRT é o principal processo de engajamento da Fibria e tem como objetivo fortalecer a agricultura familiar e as associações comunitárias e, dessa forma, promover a inclusão social e a melhoria da qualidade de vida.

Outro produto que será exposto é o mel oriundo do Programa Colmeias, que tem como objetivo contribuir para o desenvolvimento da atividade apícola nas unidades florestais da Fibria e implantar novas tecnologias em conjunto com os apicultores. Atualmente o programa contempla 29 associações e mais de 750 apicultores cadastrados. Estima-se que 15% do mel produzido no estado de São Paulo venha das florestas da Fibria.