Canais de Notícia

Ciência & Tecnologia

Publicada em 28/11/2012

Ceres e Syngenta vão desenvolver o mercado de sorgo sacarino

O sorgo sacarino é uma cultura resistente que pode estender o período de produção de etanol.

Da Redação*

A Ceres empresa que desenvolve culturas energéticas, anunciou que a sua subsidiária brasileira assinou um acordo para desenvolver o mercado de sorgo sacarino com a Syngenta . As empresas vão trabalhar em conjunto para apoiar a introdução de sorgo sacarino como fonte de açúcares fermentáveis ?em 400 ou mais usinas de etanol no Brasil.

O sorgo sacarino é uma cultura resistente que pode estender o período de produção de etanol em até 60 dias no País. O cereal pode ser cultivado em terras de cultivo de cana-de-açúcar em fase de descanso, e pode ser processado pelo mesmo equipamento. Como cresce em apenas 90 a 150 dias, exige menos água e outros insumos do que a cana. Na safra passada, usinas do Brasil plantaram o sorgo sacarino da Ceres em mais de 3.000 hectares – área equivalente a, aproximadamente, 3.000 campos de futebol. Devido, em parte, ao aumento da demanda por etanol e à escassez de cana-de-açúcar, o governo brasileiro anunciou recentemente em seu plano de safra para o período de 2012-2013 que o sorgo sacarino seria considerado uma cultura estratégica.

Pelo acordo, a Syngenta e a Ceres pretendem colaborar em testes de pequena escala, bem como em avaliações e demonstração de campo em escala maior com usinas nesta safra. A Syngenta fornecerá seus consideráveis recursos agronômicos ??para avaliar seu portfólio de produtos para a proteção de cultivos com os híbridos da Ceres. Por sua vez, a Ceres irá disponibilizar sementes e apoio à pesquisa. Ambas as empresas irão coordenar a divulgação da cultura para as usinas de etanol e desenvolver programas de treinamento da indústria.

“Ao trabalhar em conjunto com a Syngenta, acreditamos que poderemos implementar o desenvolvimento das práticas de manejo para o cultivo do sorgo sacarino e oferecer um pacote mais completo de híbridos avançados e defensivos de ponta para a cultura para nossos clientes em comum”, disse Michael Stephenson, vice-presidente de Operações da Ceres.

“Estamos comprometidos em ajudar nossos clientes a melhorar suas operações, e acreditamos que é importante assumir um papel de liderança em apoiá-los na adoção de novas tecnologias como a do sorgo sacarino, matéria-prima que amplia o período de moagem. Nosso objetivo com a Ceres é ajudar a desenvolver essa oportunidade de mercado ao otimizar a produtividade agrícola e fornecer maior estabilidade de produtividade pela utilização eficiente de nosso portfólio de proteção de cultivos”, disse Daniel Bachner, Diretor Global de Cana-de-açúcar da Syngenta.

(*Com informações da assessoria)