Canais de Notícia

Ciência & Tecnologia

Publicada em 10/02/2014

Variedades de soja são apresentadas em Dia de Campo

Potencial produtivo pode chegar a cerca de 70 sacas por hectare.

Da assessoria

Para auxiliar o produtor na tomada de decisão, a Fundação MS realiza os já tradicionais “Dias de Campo”. Desta vez, os participantes puderam conhecer novas cultivares de soja, que poderão ser utilizadas na próxima safra. “O objetivo é mostrar ao produtor a amplitude das novas variedades existentes no mercado e suas tecnologias”, ressalta o pesquisador de Fitotecnia Soja da Fundação MS, Carlos Pitol.

Entre as cultivares com menor e maior produtividade, o potencial pode chegar a números que variam de 50 sc/ha a 70 sc/ha por hectare, levando em consideração as condições de plantio e as tecnologias empregadas no manejo. Além das variedades transgênicas, as vantagens da soja convencional também foram apresentadas, como o valor da saca, que pode render ao produtor R$ 7 a mais por hectare, por conta de bonificações de algumas empresas que adquirem o grão.

Um exemplo é a cultivar convencional BRS 284 que, apesar de não ser tão nova no mercado quanto às outras apresentadas, foi citada pela boa produtividade em algumas propriedades do Estado. Precoce, a variedade apresenta crescimento indeterminado e, por ter um ciclo mais rápido, viabiliza a semeadura do milho safrinha. Além disso, é resistente ao nematoide de galha, o Meloidogyne javanica.

Agora, em se tratando de transgênicas, novidades estão disponíveis no mercado, cada uma com suas características. Entre elas está a soja BRS 360 RR, com bom potencial produtivo, de ciclo precoce e se adapta bem a solos originalmente ácidos. “Além disso, é bastante resistente a seca”, completa. A variedade apresenta ainda crescimento indeterminado e desempenho melhor em áreas com altitudes menores que 600 metros e tem resistência ao nematoide Rotylenchulus reniformis.

A tecnologia da soja intacta também é outra opção para o produtor que quer se prevenir das lagartas. As cultivares TEC 7849 IPRO e NEX 457 IPRO são alguns exemplos. “Essa tecnologia se mostrou eficiente no controle de lagartas e facilita o manejo, no entanto o produtor deve ficar atento aos custos”, afirma o pesquisador da Fundação MS.

Dia de Campo

Tradicionalmente realizado pela Fundação MS, os Dias de Campo levam orientações aos produtores rurais, técnicos e acadêmicos. Na sexta-feira, 7, as palestras foram realizadas na Estância Cláudia, em Campo Grande, com a participação de acadêmicos da Universidade Católica Dom Bosco.

Na última semana, o evento já passou por cinco cidades de Mato Grosso do Sul. Na terça-feira, 11, será realizado em Dourados, na Fazenda Experimental da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados).